16
ago

Resenha | Quando a noite cai – Carina Rissi

Categorias: Livros

A resenha de hoje é mais um romance da diva do chick-lit nacional, Carina Rissi. Em Quando a noite cai, a autora presenteia seus fãs com um história envolta em mistérios, maldições, lendas e claro, muita paixão.

—-

Título: Quando a noite cai / Autor (a): Carina Rissi / Editora: Verus

Páginas: 476 / Skoob: Adicione / Compre: Buscapé / Minha avaliação: ★★★

Sinopse: Briana Pinheiro sabe que não é a pessoa mais sortuda do mundo. Sempre que ela está por perto algo vai mal, especialmente no trabalho. Por isso é tão difícil manter um emprego. E a garota realmente precisa de grana, já que a pensão da família não anda nada bem. Mas esse não é o único motivo pelo qual Briana anda perdendo o sono. Quando a noite cai e o sono vem, ela é transportada para terras distantes: um mundo com espadas, castelos e um guerreiro irlandês que teima em lhe roubar os sonhos… e o coração. Depois de ser demitida — pela terceira vez no mês! —, Briana reúne coragem e esperanças e sai em busca de um novo trabalho. É quando Gael O’Connor cruza seu caminho. O irlandês de olhar misterioso e poucas palavras lhe oferece uma vaga em uma de suas empresas. Só tem um probleminha: seu novo chefe é exatamente igual ao guerreiro dos seus sonhos. Enquanto tenta manter a má sorte longe do escritório, Briana acaba por misturar realidade e fantasia e se apaixona pelo belo, irresistível e enigmático Gael. Em uma viagem à Irlanda, a paixão explode e, com ela, o mundo de Briana, pois a garota vai descobrir que seu conto de fadas está em risco — e que talvez nem mesmo o amor verdadeiro seja capaz de triunfar…

Briana é uma moça atrapalhada e com uma tremenda má sorte. Ela precisa muito ajudar sua família financeiramente, mas não consegue durar em emprego nenhum, até o dia em que é atropelada por Gael, um cara lindo, alto, charmoso e que parece ter saído diretamente de seus sonhos.

O fato é que nos últimos cinco anos, Briana sonha todas as noites com um guerreiro irlandês chamado Lorcan e ele se parece muito com o homem que a atropelou. Agora, ela acaba se vendo envolvida em uma nova situação, onde além de conseguir um novo emprego (Gael lhe proporciona essa oportunidade), Briana consegue ficar mais próxima do chefe e tenta entender o porque da sua semelhança com Lorcan.

“Porque quando se ama, por mais impossível que possa parecer, a esperança persiste e você luta até o último suspiro.” Página 237

—-

Quem é leitor do blog já sabe que eu sou super fã da Carina Rissi; adoro todos os outros livros que já li dela e acho viciante a maneira como a autora narra suas histórias. Isso sem mencionar que ela cria os melhores mocinhos da vida, né? Até hoje não tive estrutura emocional pra decidir quem é meu crush preferido e sigo muito apaixonada por Max, de Procura-se um marido; Dante, de No Mundo da Luna; Lucas, de Prometida e claro, Yan, da série Perdida.

Por isso, é com muita tristeza no coração que eu confesso a vocês que Quando a noite cai não me conquistou cem por cento. Entre os motivos, está o fato de eu não ter conseguido me conectar com a narrativa alternada entre sonho e realidade. Eu nunca tive problemas com esse tipo de narrativa que mescla realidade e fantasia ou passagens de tempo, mas nesse livro isso me incomodou bastante. A parte dos sonhos da Briana era cansativa e logo me dava sono; consequentemente eu tive dificuldade de entender as lendas irlandesas, o que considero essencial para a compreensão desse romance.

Os protagonistas também não me cativaram; a verdade é que eu não conseguia aceitar muito bem a relação precoce do casal, principalmente porque Gael era chefe da Briana e eu não admitia o fato do patrão ir assistir filme na casa da nova funcionária que ele conhecia há apenas uma semana, muito menos mandar um motorista particular apanhá-la em casa para levá-la à empresa, isso sem falar que ele não reclamava das inúmeras atrapalhadas que ela causava no trabalho. Eu sei que se trata de uma história puramente fictícia, mas essa relação patrão x empregada fugia muito da normalidade e não passou veracidade ao enredo.

E entre os pontos positivos, destaco o fato da autora ter inserido um pouco do folclore, da mitologia e da cultura irlandesa nessa obra. Apesar de não ter entendido muito as lentas, como falei anteriormente, eu admiro o esforço da autora em ter se mantido fiel a elas.

Lembrando que tudo que estou discorrendo aqui são observações muito pessoais. Tenho certeza de que várias pessoas pensam o contrário, e isso é tão verdade que a maior parte das resenhas que li sobre esse livro foi extremamente positiva. Talvez eu não estivesse no momento certo para mais um romance ou talvez essa leitura tenha sido prejudicada pela minha alta expectativa, não sei. A única coisa que eu sei é que você precisa tirar suas próprias conclusões sobre Quando a noite cai, porque ao contrário do que aconteceu comigo, esse livro pode proporcionar uma leitura maravilhosa para você.

Um super beijo e até a próxima!

ME ENCONTRE TAMBÉM AQUI:

Instagram ❤ Facebook ❤ Google + ❤  Pinterest ❤ Skoob ❤ Twitter ❤  YouTube

09
ago

Resenha | Casada até quarta – Catherine Bybee

Categorias: Livros

Sabe aquele romance “levinho”, charmoso, que quando terminamos de ler estamos suspirando e completamente encantadas? Foi exatamente assim que me senti quando terminei Casada até Quarta, o primeiro volume da série Noivas da Semana.

—-

Título: Casada até Quarta / Série: Noivas da Semana / Autor (a): Catherine Bybee / Editora: Verus

Páginas: 196 / Skoob: Adicione / Compre: Buscapé / Minha avaliação: ★★★★★

Sinopse: Blake Harrison: rico, nobre, charmoso… e precisando de uma esposa até quarta-feira. Para isso, Blake recorre a Sam Elliot, que não é o homem de negócios que ele esperava. Em vez disso, ele encontra Samantha Elliot, linda e exuberante, com a voz mais sexy que ele já ouviu.

Samantha Elliot: dona da agência de casamentos Alliance, ela não está no menu de pretendentes… até Blake lhe oferecer milhões de dólares por um contrato de um ano. Não há nada de indecente na proposta dele, e além disso o dinheiro vai ser muito útil para quitar as contas médicas da família dela. Samantha só precisa disfarçar a atração que sente por seu novo marido e evitar a todo custo a cama dele. 

Mas os beijos ardentes de Blake e seu charme inegável se provam muito difíceis de resistir. Era um contrato de casamento que previa tudo… menos se apaixonar. Agora só resta a Samantha proteger seu coração até que o contrato chegue ao fim.

—-

Blake Harrison é rico, charmoso e um nobre (um duque, para ser mais exata). Quando ele solicita uma reunião para contratar uma esposa o mais rápido possível, afim de cumprir as exigências do testamente de seu falecido pai e receber a herança milionária, não poderia imaginar o que estava por vir, pois achar uma esposa nos termos exigidos por ele não seria tarefa fácil.

Sam Elliot, que não é o homem de negócios que Blake esperava, é uma ruiva linda, segura de si e dona da agência de casamentos Alliance. Ela não está no “menu”, mas é a Sam que Blake oferece milhões de dólares e o contrato de um ano para que eles se casem. Sam, que era uma menina rica e de repente se vê precisando trabalhar para pagar as contas, acaba aceitando a proposta, afinal, sua vida havia mudado completamente por conta de alguns deslizes de seu pai e ela ainda precisava arcar com os custos do tratamento da irmã.

Tudo estava correndo perfeitamente bem e de maneira conveniente para ambos, a não ser pelo fato de que os dois precisariam provar que estavam apaixonados diante dos olhos da sociedade, o que não seria muito difícil para Samantha, já que ela não conseguia resistir a atração pelo seu marido e por esse mesmo motivo precisava a todo custo evitar ir a cama com ele. Como nem tudo é perfeito, existe algumas intrigas que ambos terão que superar para que consigam cumprir o exigido pelo contrato.

A narrativa feita em terceira pessoa é leve, simples, rápida e fluida. Catherine Bybee foi direto ao ponto nesse primeiro volume da série e isso me deixou muito satisfeita, sem contar que a narrativa intercala os pontos de vistas dos protagonistas, e isso nos permite conhecer melhor os sentimentos de ambos. A edição do livro também é algo que preciso mencionar, pois está maravilhosa. Não encontrei erros de ortografia e me apaixonei por essa capa lindíssima!

Como eu já mencionei antes, Casada até Quarta é simplesmente encantador e já me deixou ansiosa pelo próximo volume da série. É uma história de amor sem muitas reviravoltas e, apesar do desenrolar não ser muito inesperado, não deixa de ser uma leitura prazerosa. Então pra quem gosta de romances curtos e bem objetivos, eis aqui uma super dica!

— 

“Eu te amo Samantha Harrison. E, se você está esperando o dia que eu te peça para sair da minha vida, pode se preparar para esperar pela eternidade.” Página 187

Um beijo e até a próxima!

ACOMPANHE AS REDES SOCIAIS DO BLOG:

Instagram ❤ Facebook ❤ Google + ❤  Pinterest ❤ Skoob ❤ Twitter ❤  YouTube

07
ago

Resenha | Um Acordo de Cavalheiros – Lucy Vargas

Categorias: Livros

Queridos leitores, alerta de VÍCIO

Para quem ama aquele romance que lhe tira o sono, faz a respiração ficar ofegante, o coração bater acelerado, e fica de cara quando tudo se encaixa, fica comigo mais um pouquinho porque vamos viajar no tempo para as temporadas de bailes londrinos.

Já estão se imaginando numa festa? Ainda não? Pois já podem se preparar, porque a partir de agora vocês estão oficialmente convidados para esse baile!

—-

Título: Um Acordo de Cavalheiros / Autor (a): Lucy Vargas / Editora: Bertrand Brasil

Páginas: 350 / Skoob: Adicione / Compare e Compre: Buscapé / Minha avaliação: ★★★★★

Sinopse: Tristan Thorne, o Conde de Wintry, não é um homem para brincadeiras. Com uma vida de segredos, amado e odiado na sociedade, ele não é o parceiro ideal para uma dama. Dorothy Miller não sabe o que há por trás de suas motivações, apenas que ele é bastante intenso. Os jornais dizem que ele bebe demais, joga demais e ama escandalosamente. E até mata. Como uma dama determinada a ser dona do próprio destino como Dorothy Miller acaba em um acordo com um homem como Lorde Wintry? Você teria coragem de guardar um segredo com o maior terror dos salões londrinos? Lembre-se: Nunca faça acordos com ele, pois o conde sempre volta para cobrar.

—-

O ano era 1818, evento de pré-temporada na casa de Lady Russ em Londres, e lugar onde tudo começou para Dorothy Miller e Tristan Thorne. Vamos conhecer um pouco dessa história, para só assim entender como foi que uma dama se meteu nesse acordo de cavalheiros.

Dorothy era uma dama respeitável da sociedade, iniciava essa temporada em Londres como a missão de conseguir um bom casamento para sua prima Cecília. A menina tinha gostos excêntricos, por assim dizer, e era uma tagarela, o que tornava a missão de Dorothy complicada.

Dorothy havia perdido os pais quando ainda era criança, então seu tio, o Sr. Felton, a recebeu em sua casa. Ela estava com 26 anos, o que para sua família era uma idade para já estar casada, mas ela não se importava. Dorothy era forte, independente e não se encaixava naqueles valores moralistas que queriam lhe impor.

Foi naquela noite, enquanto estava no evento de Lady Russ, que Dorothy, após algumas taças de vinho, se viu presa àquele maldito sedutor que era Tristan Thorne. Uma noite, algumas horas de conversa, uma garrafa de vinho, e nossa dama acordou na cama daquele conde safado, com o vestido e o cabelo bagunçados e sem nem lembrar como foi parar ali.

Mas lá estava ele à meia luz, cheio de más intenções, com um sorriso no canto dos lábios e bem disposto a refrescar sua memória. Nossa dama não tinha ideia de onde havia se metido, mas estava bem perto de descobrir, pois no dia seguinte ele a procuraria para lhe propor um acordo.

Mesmo sem saber ao certo como foi que ela se meteu nisso, Dorothy aceitou a proposta de Tristan Thorne e, desde então, por mais difícil de acreditar que seja, ambos começaram a descobrir lados de si mesmos que jamais pensariam existir.

Dorothy vivia em uma época em que não casar significava ruína para uma mulher. Basicamente, o contexto histórico delas era crescer se preparando para o momento em que chegaria a idade de casar e garantir um herdeiro para seu esposo. Se o homem era de uma boa família e tinha uma boa aparência, então já era um pretendente a futuro marido. Em momento nenhum era colocado em pauta a felicidade dessas mulheres.

Mas, mesmo contra todas as probabilidades, nossa dama se recusava a viver os padrões estabelecidos pela sociedade. Era óbvio que ela queria casar, mas se aquilo não acontecesse, por ela tudo bem. Dorothy se achava no direito de buscar seu lugar na sociedade sem precisar estar vinculada a um marido para isso.

No outro extremo dessa história está nosso Conde descarado, o qual só de ouvir seu nome, as damas estremeciam de pavor. Tristan também havia perdido os pais quando era criança e foi criado por sua tia, que o amou incondicionalmente como se realmente fosse seu filho. Mas ele também a perdeu e acompanhamos sua busca incansável para descobrir qual a verdadeira causa da morte dela, pois ele tinha certeza não ter sido causa natural, como haviam lhe falado.

Mesmo alimentando todos as histórias horríveis a seu respeito, e ainda ajudando para que elas se tornassem piores, Tristan conseguiu tempo para se aventurar em um romance secreto e cheio de reviravoltas com Dorothy Miller. O que pra ele foi uma novidade, pois ele fugia de damas da sociedade como o diabo foge da cruz. Porém, depois do que aconteceu no evento de pré-temporada, Tristan se viu louco de desejo de possuir aquela mulher, ele já havia planejado em sua mente inúmeras formas de lhe proporcionar prazer, tanto quanto ela nunca imaginou receber em sua vida. Porém, ele também foi pego por essa história.

Ambos encontraram no outro alguém para conversar, para ser quem realmente eram, encontraram um amigo nos braços um do outro, e o que era para ser apenas um caso secreto se transformou em momentos divertidos e de compartilhamento, mas que acabariam ao fim daquela temporada. Ou será que não? Será que atrelada aquele lorde devasso, Dorothy ainda conseguiria manter algo de castro?

—-

Mesmo tratando-se de um romance de época ardente e escandalosamente envolvente, que prende você desde o início, Um Acordo de Cavalheiros é um livro que vem cheio de empoderamento para nós mulheres. Nos mostra que mesmo em uma história fictícia é real que buscamos nosso lugar no meio de uma sociedade que quer nos impor tudo o que devermos ser ou fazer de nossas vidas.

Dei a esse livro 5 estrelas, mas daria até 1000, por ser um livro de conteúdo tão maravilhoso, não só pelas cenas picantes, que em certos momentos me deixou com as bochechas ardendo de vergonha, mas por tudo o que ele explora ao longo de seus capítulos. É uma leitura leve, engraçada, tensa em alguns momentos e também comovente. Mas que faz valer a pena cada minuto dedicado a ele.

Sobre a autora, Lucy Vargas, só tenho uma coisa a dizer: parabéns por essa obra incrível, já quero novas leituras!

Beijos e até a próxima, pessoal!

ACOMPANHE AS REDES SOCIAIS DO BLOG:

Instagram ❤ Facebook ❤ Google + ❤  Pinterest ❤ Skoob ❤ Twitter ❤  YouTube

Páginas123456789... 27»
Páginas123456789... 27»

Helen Dutra - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2017