06
set

Resenha | O Sorriso da Hiena – Gustavo Ávila

Categorias: Livros

Já anota aí a dica de um suspense psicológico incrível: O Sorriso da Hiena, do autor nacional Gustavo Ávila. O livro foi recentemente publicado pela Editora Verus, mas já fazia um enorme sucesso na internet, através da publicação independente do autor. Inclusive eu já tinha interesse em fazer essa leitura há um bom tempo, por isso fiquei muito feliz quando soube que uma editora tão importante resolveu reproduzir essa história.

Já deu pra perceber o quanto esse livro é querido, né? Pois fica de olho na resenha, que vou te contar um pouco de como foi essa experiência de leitura.

—-

Título: O Sorriso da Hiena / Autor (a): Gustavo Ávila / Editora: Verus

Páginas: 266 / Skoob: Adicione / Compre: Buscapé / Minha avaliação: ★★★★★

Sinopse: Atormentado por achar que não faz o suficiente para tornar o mundo um lugar melhor, William, um respeitável psicólogo infantil, tem a chance de realizar um estudo que pode ajudar a entender o desenvolvimento da maldade humana. Porém, a proposta feita pelo misterioso David coloca o psicólogo diante de um complexo dilema moral. 
Para saber se é uma pessoa má por ter presenciado o brutal assassinato dos seus pais quando tinha apenas oito anos, David planeja repetir com outras famílias o mesmo que aconteceu com a dele, dando a William a chance de acompanhar o crescimento das crianças órfãs e descobrir a influência desse trauma na vida delas.
Até onde ele será capaz de ir? É possível justificar o mal quando há a intenção de fazer o bem?

O Sorriso da Hiena é um daqueles livros com final surpreendente e de tirar o fôlego. Ele é narrado em terceira pessoa, a partir do ponto de vista de três homens distintos: David, Artur e William.

David era só uma criança que ficou órfã aos oito anos de idade quando assistiu ao brutal assassinato dos pais. Vinte e quatro anos depois, ele se torna um serial killer e planeja repetir com outras famílias o que aconteceu com a dele.

É aí que entra em cena Artur, o detetive responsável por desvendar os crimes e colocar o assassino atrás das grades. Ele fora diagnosticado desde criança com síndrome de Asperger, um tipo de autismo que molda a pessoa com certas particularidades, o que o torna um sujeito esperto e excêntrico. Sem dúvidas, esse foi o personagem que mais me atraiu.

O último protagonista que apresento a vocês é William, o psicólogo infantil contratado pela polícia para acompanhar crianças que foram vítimas de violência. Ele fez uma tese de doutorado sobre o desenvolvimento da maldade humana, porém seu estudo era formado apenas por questões hipotéticas, visto que para confirmar sua tese ele teria que ter casos reais de assassinatos com as mesmas características.

A trama fica ainda mais interessante quando David propõe a William um acordo perigoso: ele continuaria cometendo o mesmo crime com vários casais para que o psicólogo pudesse estudar as crianças, afim de saber se um trauma sofrido na infância seria capaz de transformar a pessoa em um monstro. E com isso o autor levanta uma questão: “é possível justificar o mal quando há a intenção de fazer o bem?

“A única maneira de sobreviver é evoluir para um estado que podemos chamar popularmente de bondade, em que você aprende o que é certo e errado, e em que as pessoas se importam com as outras e não só com suas próprias necessidades.” Página 204

Esse foi o romance de estreia de Gustavo Ávila e eu gostei demais da maneira instigante e inteligente de como ele conduziu a história. Os capítulos são curtos e objetivos, alternando a visão dos três protagonistas. Há ainda a presença de alguns personagens secundários que foram essenciais para a construção de personalidade dos protagonistas e para o desfecho da trama.

Foi muito fácil me envolver com a história e criar minhas próprias teorias sobre os acontecimentos por trás dos crimes. Sem contar que a narrativa fluida e envolvente do autor não me deixou largar o livro enquanto não cheguei ao final.

O Sorriso da Hiena acabou entrando para minha lista de suspenses psicológicos favoritos tanto pela leitura extremamente prazerosa que me proporcionou quanto pelas discussões levantadas sobre a maldade humana. Foi uma leitura rápida, fascinante, inteligente, entusiástica, intensa e, por fim, ímpar, por ser totalmente diferente de tudo que já li e pelo fato do autor ter fugido de esteriótipos.

Então sim, eu A-M-E-I esse livro e encerro essa simples resenha reforçando a recomendação. Não somente para quem apoia a literatura nacional ou adora um thriller psicológico, mas para todos os leitores sedentos de um livro inteligente e dinâmico.

Um beijo e até a próxima!

ME ENCONTRE TAMBÉM AQUI:

Instagram ❤ Facebook ❤ Google + ❤  Pinterest ❤ Skoob ❤ Twitter ❤  YouTube

27
ago

Resenha | Esposa até Segunda – Catherine Bybee

Categorias: Livros

Olá, leitores!

Vocês que acompanham o blog já sabem que eu fiquei encantada com o primeiro volume da série Noivas da Semana, né? Casada até quarta foi uma leitura deliciosa e rápida, portanto eu já estava ansiosa para conhecer os personagens e me envolver com mais uma obra de Catherine Bybee.

Título: Esposa até Segunda / Série: Noivas da Semana #2 / Autor (a): Catherine Bybee / Editora: Verus

Páginas: 252 / Skoob: Adicione / Compre: Buscapé / Minha avaliação: ★★★★★

Sinopse: O segundo livro da série Noivas da Semana. Carter Billings: com seus cabelos loiros, olhos azuis e beleza hollywoodiana, ele pode ter a mulher que quiser. Mas, quando decide concorrer à vaga de governador do estado da Califórnia, Carter sabe que vai precisar abandonar a vida de solteiro e se tornar um homem de família. E para isso ele precisa de uma esposa. Entra Eliza Havens, que gerencia a agência de casamentos Alliance. Eliza Havens: ela está feliz por sua amiga Sam ter arrumado um marido rico e atraente. Só tem um detalhe que a deixa louca da vida: o melhor amigo dele, o sexy e ousado Carter Billings. Eliza nunca brigou tanto com um homem — e nunca conheceu alguém que mexesse tanto com ela. Juntar pessoas solitárias é a maneira como Eliza ganha a vida, porém um obscuro segredo do passado a faz descartar totalmente a possibilidade de se casar. Pelo menos foi assim até agora…

—-

O livro começa com a comemoração de dois anos de casamento de Sam e Blake (protagonistas do primeiro livro), no Texas. Eliza é a melhor amiga de Sam e também sócia da agência Alliance e, junto com Gwen, irmã caçula de Blake, estão cuidando dos preparativos da festa. O que ninguém esperava acontecer era que justamente nessa festa, Carter, melhor amigo de Blake e também candidato a governador, se meteria numa briga de bar para defender as duas.

Eliza e Carter são aquele tipo de casal que em um momento se ama e no outro se odeia e, por causa disso, estão sempre contrariando um ao outro. Porém, depois do escândalo que Carter se mete por causa dela, Eliza se vê obrigada a dar uma trégua para ajudar o “amigo”; porém como nem tudo são flores, ao fazer isso ela não só ajuda Carter, mas também acaba colocando a própria vida em risco.

O que ninguém sabia, nem mesmo sua melhor amiga, era que Eliza tinha um passado misterioso.

Eu gostei da Eliza assim “de cara” por ela conseguir enfrentar toda a situação de maneira corajosa e não tão dramática, como estamos acostumados a ver em alguns personagens. Já Carter, por ser filho de policial e ter crescido num lar cheio de amor, sente a necessidade de ajudar Eliza, já que sua futura posição privilegiada e sua fortuna lhe dão amplo poder pra isso, e assim também poderia juntar o útil ao agradável.

Eu nem preciso dizer o quanto gostei de Esposa até Segunda, da maneira como a autora desenvolveu os personagens, de forma não cansativa e surpreendente. Sem falar no romance seguindo aquela dose “básica” de cenas picantes (ai, pai! kkkk). Além disso, Catherine Bybee conseguiu prender muito a minha atenção com o suspense em torno da personagem Eliza; eu simplesmente não conseguia parar de ler.

Então sim, eu super recomendo Esposa até Segunda, por tudo que foi mencionado acima e porque os personagens são super carismáticos. Pra encerrar, quero também deixar registrado que me encantei com a capa do livro, especialmente por ser uma das minhas cores favoritas e, claro, dizer que já estou ansiosa pra descobrir o que me aguarda nos próximos volumes dessa série que é muito amor!

“Marido e mulher para sempre?   

Para sempre pode não ser o suficiente…

Para sempre é tudo que posso oferecer, Hollywood.”

Um beijo e até a próxima!

ACOMPANHE AS REDES SOCIAIS DO BLOG:

Instagram ❤ Facebook ❤ Google + ❤  Pinterest ❤ Skoob ❤ Twitter ❤  YouTube

16
ago

Resenha | Quando a noite cai – Carina Rissi

Categorias: Livros

A resenha de hoje é mais um romance da diva do chick-lit nacional, Carina Rissi. Em Quando a noite cai, a autora presenteia seus fãs com um história envolta em mistérios, maldições, lendas e claro, muita paixão.

—-

Título: Quando a noite cai / Autor (a): Carina Rissi / Editora: Verus

Páginas: 476 / Skoob: Adicione / Compre: Buscapé / Minha avaliação: ★★★

Sinopse: Briana Pinheiro sabe que não é a pessoa mais sortuda do mundo. Sempre que ela está por perto algo vai mal, especialmente no trabalho. Por isso é tão difícil manter um emprego. E a garota realmente precisa de grana, já que a pensão da família não anda nada bem. Mas esse não é o único motivo pelo qual Briana anda perdendo o sono. Quando a noite cai e o sono vem, ela é transportada para terras distantes: um mundo com espadas, castelos e um guerreiro irlandês que teima em lhe roubar os sonhos… e o coração. Depois de ser demitida — pela terceira vez no mês! —, Briana reúne coragem e esperanças e sai em busca de um novo trabalho. É quando Gael O’Connor cruza seu caminho. O irlandês de olhar misterioso e poucas palavras lhe oferece uma vaga em uma de suas empresas. Só tem um probleminha: seu novo chefe é exatamente igual ao guerreiro dos seus sonhos. Enquanto tenta manter a má sorte longe do escritório, Briana acaba por misturar realidade e fantasia e se apaixona pelo belo, irresistível e enigmático Gael. Em uma viagem à Irlanda, a paixão explode e, com ela, o mundo de Briana, pois a garota vai descobrir que seu conto de fadas está em risco — e que talvez nem mesmo o amor verdadeiro seja capaz de triunfar…

Briana é uma moça atrapalhada e com uma tremenda má sorte. Ela precisa muito ajudar sua família financeiramente, mas não consegue durar em emprego nenhum, até o dia em que é atropelada por Gael, um cara lindo, alto, charmoso e que parece ter saído diretamente de seus sonhos.

O fato é que nos últimos cinco anos, Briana sonha todas as noites com um guerreiro irlandês chamado Lorcan e ele se parece muito com o homem que a atropelou. Agora, ela acaba se vendo envolvida em uma nova situação, onde além de conseguir um novo emprego (Gael lhe proporciona essa oportunidade), Briana consegue ficar mais próxima do chefe e tenta entender o porque da sua semelhança com Lorcan.

“Porque quando se ama, por mais impossível que possa parecer, a esperança persiste e você luta até o último suspiro.” Página 237

—-

Quem é leitor do blog já sabe que eu sou super fã da Carina Rissi; adoro todos os outros livros que já li dela e acho viciante a maneira como a autora narra suas histórias. Isso sem mencionar que ela cria os melhores mocinhos da vida, né? Até hoje não tive estrutura emocional pra decidir quem é meu crush preferido e sigo muito apaixonada por Max, de Procura-se um marido; Dante, de No Mundo da Luna; Lucas, de Prometida e claro, Yan, da série Perdida.

Por isso, é com muita tristeza no coração que eu confesso a vocês que Quando a noite cai não me conquistou cem por cento. Entre os motivos, está o fato de eu não ter conseguido me conectar com a narrativa alternada entre sonho e realidade. Eu nunca tive problemas com esse tipo de narrativa que mescla realidade e fantasia ou passagens de tempo, mas nesse livro isso me incomodou bastante. A parte dos sonhos da Briana era cansativa e logo me dava sono; consequentemente eu tive dificuldade de entender as lendas irlandesas, o que considero essencial para a compreensão desse romance.

Os protagonistas também não me cativaram; a verdade é que eu não conseguia aceitar muito bem a relação precoce do casal, principalmente porque Gael era chefe da Briana e eu não admitia o fato do patrão ir assistir filme na casa da nova funcionária que ele conhecia há apenas uma semana, muito menos mandar um motorista particular apanhá-la em casa para levá-la à empresa, isso sem falar que ele não reclamava das inúmeras atrapalhadas que ela causava no trabalho. Eu sei que se trata de uma história puramente fictícia, mas essa relação patrão x empregada fugia muito da normalidade e não passou veracidade ao enredo.

E entre os pontos positivos, destaco o fato da autora ter inserido um pouco do folclore, da mitologia e da cultura irlandesa nessa obra. Apesar de não ter entendido muito as lentas, como falei anteriormente, eu admiro o esforço da autora em ter se mantido fiel a elas.

Lembrando que tudo que estou discorrendo aqui são observações muito pessoais. Tenho certeza de que várias pessoas pensam o contrário, e isso é tão verdade que a maior parte das resenhas que li sobre esse livro foi extremamente positiva. Talvez eu não estivesse no momento certo para mais um romance ou talvez essa leitura tenha sido prejudicada pela minha alta expectativa, não sei. A única coisa que eu sei é que você precisa tirar suas próprias conclusões sobre Quando a noite cai, porque ao contrário do que aconteceu comigo, esse livro pode proporcionar uma leitura maravilhosa para você.

Um super beijo e até a próxima!

ME ENCONTRE TAMBÉM AQUI:

Instagram ❤ Facebook ❤ Google + ❤  Pinterest ❤ Skoob ❤ Twitter ❤  YouTube

Páginas1234567... 30»
Páginas1234567... 30»

Helen Dutra - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2017