07
abr

Resenha | O Visconde que me amava – Julia Quinn

Categorias: Livros

O Visconde que me amava é o segundo volume da série Os Bridgertons. Neste livro conheceremos a história de Anthony, o filho mais velho de Edmund e Violet, e também o visconde mais rico, charmoso e irresistível desta temporada. Se você já ficou curioso pra saber mais desse livro lindo e apaixonante, eu te convido a ler a resenha completa e já adianto que vale a pena a leitura desse romance que, em alguns momentos, vai te levar a viver os calores de um verão intenso.

Título: O Visconde que me amava / Série: Os Bridgertons / Autor (a): Julia Quinn / Editora: Arqueiro

Skoob: Adicione / Compre: BuscapéPáginas: 288 / Minha avaliação: ★★★★★

Sinopse: A temporada de bailes e festas de 1814 acaba de começar em Londres. Como de costume, as mães ambiciosas já estão ávidas por encontrar um marido adequado para suas filhas. Ao que tudo indica, o solteiro mais cobiçado do ano será Anthony Bridgerton, um visconde charmoso, elegante e muito rico que, contrariando as probabilidades, resolve dar um basta na rotina de libertino e arranjar uma noiva. 
Logo ele decide que Edwina Sheffield, a debutante mais linda da estação, é a candidata ideal. Mas, para levá-la ao altar, primeiro terá que convencer Kate, a irmã mais velha da jovem, de que merece se casar com ela. 
Não será uma tarefa fácil, porque Kate não acredita que ex-libertinos possam se transformar em bons maridos e não deixará Edwina cair nas garras dele. Enquanto faz de tudo para afastá-lo da irmã, Kate descobre que o visconde devasso é também um homem honesto e gentil. Ao mesmo tempo, Anthony começa a sonhar com ela, apesar de achá-la a criatura mais intrometida e irritante que já pisou nos salões de Londres. Aos poucos, os dois percebem que essa centelha de desejo pode ser mais do que uma simples atração.  
Considerada a Jane Austen contemporânea, Julia Quinn mantém, neste segundo livro da série Os Bridgertons, o senso de humor e a capacidade de despertar emoções que lhe permitem construir personagens carismáticos e histórias inesquecíveis.

“Era engaçado, refletiu mais tarde, como a vida de alguém podia mudar num único instante, como tudo podia ser de um jeito num minuto e, no seguinte, simplesmente se transformar em algo… diferente”

Não é segredo pra ninguém que a família Bridgerton, além de numerosa e rica, não teme em demonstrar seu amor uns pelos outros. Em meio à todos os filhos está Anthony que, aliás, é o primogênito e herdeiro do título de seu pai. Devido a isso, em algum momento muito em breve, ele terá que se casar para dar continuidade a linhagem da família. É aí que a história começa a se desenrolar, pois com o início da temporada de bailes, também surgem as mães casamenteiras, que já estão em busca de maridos para suas filhas.

  “Poucas coisas me agradam mais que um desafio”

E como não era de se esperar, o nosso visconde charmoso, rico e, além de tudo, elegante, decide que enfim chegou a hora de sair de sua maravilhosa vida de libertino, contrariando a tudo aquilo em que acredita. Ele está disposto a se casar, mas a dama que vier a ser sua ser futura esposa tem que ser bonita e, no mínimo, ter um cérebro (palavras do próprio Anthony, que não quer que os seus filhos sejam burros, kkkkk). A candidata perfeita para ocupar essa posição é Edwina Sheffield, a debutante mais linda da temporada; o que Anthony não contava era que, para leva-lá ao altar, teria primeiro que conseguir a permissão de sua irmã mais velha, Kate Sheffield.

“A senhorita é uma ameaça a sociedade

Casar-se com Edwina se tornou uma tarefa trabalhosa para Anthony, pois Kate não acreditava que ex-libertinos pudessem se tornar bons maridos e, com isso, o visconde começa a sua árdua missão em busca de aprovação para fazer a corte a Edwina. Porém, mesmo em meio a todas as opiniões não tão favoráveis a respeito de Anthony, Kate acaba descobrindo que o visconde devasso é também um homem carinhoso e gentil, ao mesmo tempo que Anthony passa a sonhar com a futura cunhada, mesmo achando ela a criatura mais insuportável de toda Londres.

“Talvez conseguisse ouvir o sorriso na voz dele”

—-

Não sei se já compartilhei com vocês minha paixão por romances de época. Sempre que leio um parece que viajo no tempo, com todos aqueles bailes e casarões. Sem falar que na maioria das vezes me vejo como a heroína que anseia o seu “final feliz”. Com esse segundo volume da série não foi diferente. Apaixonei-me ainda mais por essa autora que está conquistando milhares de fãs ao redor do mundo. Julia Quinn consegue mesmo prender o leitor logo nas primeiras páginas, com sua escrita cativante e repleta de paixão e humor na dose certa.

Mergulhar no universo de Anthony foi simplesmente incrível, não só por ele ser lindo e charmoso (convenhamos que isso ajuda um pouco muito… kkk) mas principalmente pelo fato de o protagonista, ao longo das páginas, mostrar o seu verdadeiro eu por trás de toda a fama de libertino. Na verdade, Anthony é amoroso, cuidadoso, responsável, honesto e capaz de fazer tudo pela felicidade e bem estar de sua família. Ele mostrou um lado mais sensível, carinhoso e tantas outras qualidades que o tornaram um dos personagens mais carismáticos da série Os Bridgertons. Tem como não amar esse homem? Não, queridos leitores, não tem. Se você ainda não se encantou com ele é porque ainda não conhece esse livro, e se você ainda não conhece, você não sabe o que tá perdendo! O Visconde que me amava tem de tudo um pouco: humor, brigas, discussões, recordações, paixão e o mais nobre dos sentimentos: o amor.

 

“Era impressionante como ele queria ser a pessoa a fazê-la sentir-se melhor.”

Mas como será que terminou toda essa história entre o visconde, Edwina e Kate? Será que ele conseguiu cortejar a adorável Edwina e finalmente fazer dela sua esposa ou essa história teve um outro desfecho? O que vocês acham? Eu tenho algumas suspeitas mas não posso revelar.

“…Significa que o amor não tem nada a ver com o medo de que tudo acabe, mas como encontrar alguém que o complete, que faça de você um ser humano melhor do que jamais sonhou em ser. É olhar nos olhos de sua esposa e ter a certeza de que ela é a melhor pessoa que você já conheceu.”

Um beijo e até a próxima!

ACOMPANHE AS REDES SOCIAIS DO BLOG:

Instagram ❤ Facebook ❤ Google + ❤  Pinterest ❤ Skoob ❤ Twitter ❤  YouTube

27
mar

Resenha | Trinta e um segredos de uma mulher inesquecível – Mike Murdock

Categorias: Livros

O livro Trinta e um segredos de uma mulher inesquecível, escrito por Mike Murdock e publicado pela nossa parceria Editora Central Gospel, é um livro totalmente diferente de tudo que costumo ler, mas nem por isso se tornou menos interessante, pelo contrário: em certos momentos foi até surpreendente!

Título: Trinta e um segredos de uma mulher inesquecível / Autor (a): Mike Murdock

Editora: Central Gospel / Páginas: 152 /  Skoob: Adicione / Compre: Central Gospel

—-

Trinta e um segredos de uma mulher inesquecível é um livro com poucas páginas mas com bastante conteúdo, levando em conta que o autor conta a história de Ruth, um dos maiores exemplos de mulher que a Bíblia apresenta. Aliado a isso, ele ainda faz uma análise da trajetória dessa mulher tão forte, nos mostrando 31 chaves para alcançar a sabedoria.

“Seu futuro deve ser conquistado. Não garantido. Não é igual ao de todo mundo. Ele é uma colheita resultante das sementes que você está disposta a semear.”  Página 17

Como o livro é bem curtinho e de não-ficção, vou falar mais de como foi a minha experiência de leitura, tá? Eu confesso que sempre tive uma certa resistência em livros como esse, principalmente porque não se trata daquele tipo de leitura que faz você querer saber mais ou viajar na própria história, já que gosto de vivenciar a leitura junto com os personagens. Além disso, tem o fato de não ser tão cativante assim e, em casos como esse, eu sempre demoro muito pra conseguir chegar ao “tão esperado fim”.

Contudo, eu fui pega de surpresa; não é que o autor conseguiu me conquistar?! Foi totalmente inesperado pra mim que, em alguns momentos, ele tenha exposto situações que muitos de nós já vivenciamos e quando ele nos orienta a maneira como deveríamos agir diante disso, paramos pra refletir: “por que eu não pensei nisso antes?”.

“Não existe um plano B para sua vida. Existe um único plano. É o plano-mestre do Criador que a formou. Não considere nada mais como uma opção.” Pagina 39

E no fim, quando achei que esse seria apenas mais um livro na minha lista de leituras realizadas, me peguei até mencionando partes do que havia lido com alguns amigos. Isso sim foi uma verdadeira surpresa!

Encerro esse post indicando Trinta e um segredos de uma mulher inesquecível para quem já gosta de literatura cristã e para quem tem interesse (ou agora ficou curiosa!) em descobrir quais segredos o autor revelou ao longo das páginas desse pequeno livro.

“Quando você deseja algo que nunca teve, deve fazer algo que nunca fez”

 

ACOMPANHE AS REDES SOCIAIS DO BLOG:

Instagram ❤ Facebook ❤ Google + ❤  Pinterest ❤ Skoob ❤ Twitter ❤  YouTube

13
mar

Resenha | A Garota do Cemitério – Livro 1: Os Impostores – Charlaine Harris, Christopher Golden e Don Kramer

Categorias: Livros

Olá, leitores!

Aqui quem escreve é a Ileana Dafne e esse é o meu primeiro post no blog. Para minha estreia por aqui, vou falar um pouco sobre A Garota do Cemitério, a primeira HQ da Editora Valentina.

—-

—-

Título: Os Impostores / Autor (a): Charlaine Harris e Christopher Golden

Ilustrador: Don Kramer / Editora: Valentina / Páginas: 128

 Skoob: Adicione / Compre: Buscapé / Minha avaliação: ★★★★

Sinopse: Ela adotou o nome Calexa Rose Dunhill, inspirada numa lápide do sombrio ambiente em que acordou, ferida e apavorada, sem qualquer lembrança de sua identidade, de quem a jogou lá para morrer ou mesmo do porquê.
Fez do cemitério o seu lar, vivendo escondida numa cripta. Mas Calexa não pode se esconder dos mortos – e, quando descobre que possui a estranha capacidade de ver as almas se desprenderem de seus corpos…
Então, certa noite, Calexa presencia um grupo de jovens praticando uma sinistra magia. Horrorizada, testemunha o ato insano que eles cometem. Quando o espírito da vítima abandona o corpo, ele entra em Calexa, atormentando sua mente com visões e lembranças que parecem não ser dela.
Agora, Calexa deve tomar uma decisão: continuar escondida para se proteger – afinal, alguém acredita que ela está morta – ou sair das sombras para trazer justiça ao angustiado espírito que foi até ela em busca de ajuda?

—-
Os Impostores é a primeira parte de uma trilogia chamada A Garota do Cemitério que possui formato de HQ. A história foi criada por Charlaine Harris e Christopher Golden e a arte ficou com Don Kramer. Harris é a autora de mistério e fantasia e escreveu a série de livros que deu origem à aclamada série televisiva True Blood. Golden é autor dos romances de Peter Octavian e da série de suspense Body of Evidence. E Kramer já foi o responsável pelas artes e capas de vários projetos da Marvel e da DC Comics, inclusive as HQs JSA e Detective Comics.

Aqui somos apresentados à Calexa Rose Dunhill, uma moça cujas lembranças começam a partir do momento em que acorda após ser deixada para morrer no cemitério. Ela não sabe realmente quem é nem por que alguém iria querê-la morta.


“Tenho certeza de que morri. Por um minuto, no mínimo. Não sei por quanto tempo. Quando se está morto é difícil falar de tempo.”

—-

Nós vamos acompanhando sua busca por informações e a luta dela pela sobrevivência até o momento em que ela presencia um ritual macabro no cemitério e se vê numa situação totalmente inesperada. A partir de então uma nova história ganha espaço e sua busca por respostas fica mais emocionante e passamos a entender mais um pouco sobre os mistérios que rondam Calexa. Durante essa jornada para se descobrir e conseguir resolver o novo problema, ela faz amizades bastante especiais.


“Não sei para onde eles vão, quero dizer, os espíritos… Mas é óbvio que há alguma coisa após a morte.”


A narrativa é fantástica e me prendeu completamente. Li bastante rápido, sentei para ler num dia e em menos de uma hora já havia terminado. A forma como a Harris e o Golden desenvolveram a história foi bastante fluida e muito bem construída. Os personagens, mesmo que esse sendo o primeiro volume e não trazendo muitas informações, são bem desenvolvidos e cativantes, nos importamos com o que pode vir a acontecer com eles. A história é narrada pela Calexa, mas não ficamos presos à somente o que acontece com ela e eu achei isso fabuloso!

Amo HQs e os traços desse primeiro volume de A Garota do Cemitério são lindos!!! Adorei a forma como o Kramer faz os desenhos, deixando os traços realistas.

——–
“Não posso contar a Kelner nem a Lucinda. Se eles souberem que estou em perigo, não vão pensar duas vezes em avisar a polícia. E eu ainda não estou pronta para isso.”

—-

—-

E preciso falar da edição da Editora Valentina. Está fabulosa!!! As folhas são perfeitas e a impressão não fica atrás. Só que teve um detalhe que me fez ter uma leve decepção com essa HQ: as páginas não são numeradas. Pode ser algo sem importância, mas estou acostumada a não usar marcadores e sempre decorar o número da página que parei a leitura para depois retomá-la. Mesmo que o tenha lido bem rápido e sem paradas, essa falta de numeração me deixou bastante incomodada.

Contudo a história é excelente e super recomendo-a a todos que curtem um bom mistério com elementos sobrenaturais e um drama bem contado. E claro que estou ansiosa pelos outros dois volumes!

Até a próxima!

Páginas123456789... 27»
Páginas123456789... 27»

Helen Dutra - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2017