01
dez

Resenha | Não me abandone jamais – Kazuo Ishiguro

Categorias: Livros

Olá, leitores!

Recebi a chance de ler o ganhador do prêmio Nobel de literatura em 2017, Não me Abandone Jamais, de Kazuo Ishiguro, lançado pela Companhia das Letras.

Título: Não me abandone jamais / Autor (a): Kazuo Ishiguro Editora:  Companhia das Letras

Páginas: 344  / Skoob: Adicione / Minha avaliação: 3,5/5

Sinopse: Kathy, Tommy e Ruth são clones criados para doar órgãos. Tendo esse cenário de ficção científica por pano de fundo, e o triângulo amoroso como gancho, Kazuo Ishiguro fala de perda, de solidão e da sensação que às vezes temos de já ser “tarde demais”. Finalista do Man Booker Prize 2005.

Kathy H. tem 31 anos e está prestes a encerrar sua carreira de “cuidadora”. Enquanto isso, ela relembra o tempo que passou em Hailsham, um internato inglês que dá grande ênfase às atividades artísticas e conta, entre várias outras amenidades, com bosques, um lago povoado de marrecos, uma horta e gramados impecavelmente aparados. No entanto esse internato idílico esconde uma terrível verdade: todos os “alunos” de Hailsham são clones, produzidos com a única finalidade de servir de peças de reposição.

Assim que atingirem a idade adulta, e depois de cumprido um período como cuidadores, todos terão o mesmo destino – doar seus órgãos até “concluir”. Embora à primeira vista pareça pertencer ao terreno da ficção científica, o livro de Ishiguro lança mão desses “doadores”, em tudo e por tudo idênticos a nós, para falar da existência. Pela voz ingênua e contida de Kathy, somos conduzidos até o terreno pantanoso da solidão e da desilusão onde, vez por outra, nos sentimos prestes a atolar.

Minha opinião:

É uma ficção científica diferente de todas os outros livros que já li do gênero, e há li um bocadinho, pois é meu segundo gênero favorito.

Nesse livro nós acompanhamos Kathy H., que tem 31 anos e está em seu último ano como cuidadora. Ela conta sua história através de suas memórias do tempo vivido no colégio interno Hailsham, onde viveu cercada por várias crianças, algumas com mais importância em sua vida do que outras.

As crianças de Hailsham sabem que serão doadoras desde que começam a compreender, mas nada além disso lhes é revelado. Assim, Kathy está terminando seu papel de cuidadora e passará a ser um doadora e isso lhe desperta lembranças

Ela vai nos contando suas lembranças sem uma ordem exata. Ela vai narrando conforme vai se lembrando dos fatos. Falando sobre sua infância, adolescência, descobertas, experiências e sentimentos.

Enquanto ela vai narrando, temos o surgimento de vários personagens que, de uma forma ou de outra, marcaram seu tempo em Hailsham. Mas os personagens mais importante são Ruth, uma amiga, e Tommy, quem despertou sua paixão desde cedo.

A Ruth é uma personagem que não cativa e não consegui gostar nadinha dela, na verdade com o passar da história passo a praticamente odiá-la…

Como vamos acompanhando o que ela já vivenciou, acaba que sentimos a nostalgia dela com as lembranças que vão surgindo e as perguntas sem resposta acabam criando um mistério que aumenta a cada nova revelação do que ocorria dentro dos muros de Hailsham.

Pela sinopse já sabemos que eles são clones criados especialmente para serem doadores, mas quem os criou, para quem eles doarão e tudo mais que nos intriga durante a leitura somente se revelarão quando a Kathy vai nos dando informações que, juntamente com suas lembranças, montam o quadro geral do que ocorre.

E, posso afirmar sem perigo de estar exagerando, que triste quando tudo é revelado e nem sei mais o que dizer, só que é triste demais. Chega a ser algo doloroso saber as respostas ao que intrigou durante boa parte do livro.

Não sei se por não seguir o que estava acostumada e me tirar da minha zona de conforto, acabei não me empolgando tanto com a leitura e por diversos momentos a achei um tanto cansativa e repetitiva, mas creio que era a vontade do autor que acontecesse assim, pois realmente parece que a Kathy é real e está nos abrindo as portas de sua vida. Acho que vou guarda-lo para reler em outro momento de minha vida…

Então, para quem queira ler algo intrigante, desafiador e que lhe tire da zona de conforto, esse livro é a pedida certa!

Até a próxima!

—-

ACOMPANHE AS REDES SOCIAIS DO BLOG:

Instagram ❤ Facebook ❤ Google + ❤  Pinterest ❤ Skoob ❤ Twitter ❤  YouTube

22
nov

Resenha | O beijo traiçoeiro – Erin Beaty

Categorias: Livros

Pra quem gosta de livros envolvendo espionagem e mistério, apresento-lhes O beijo traiçoeiro, de Erin Beaty. Esse é o primeiro volume da trilogia Traitor’s, lançado aqui no Brasil pela Editora Seguinte.

Título: O beijo traiçoeiro / Editora: Seguinte / Páginas: 440

Autor (a): Erin Beaty / Skoob: Adicione / Minha avaliação: ★★★

Sinopse: Com sua língua afiada e seu temperamento rebelde, Sage Fowler está longe de ser considerada uma dama — e não dá a mínima para isso. Depois de ser julgada inapta para o casamento, Sage acaba se tornando aprendiz de casamenteira e logo recebe uma tarefa importante: acompanhar a comitiva de jovens damas da nobreza a caminho do Concordium, um evento na capital do reino, onde uniões entre grandes famílias são firmadas. Para formar bons pares, Sage anota em um livro tudo o que consegue descobrir sobre as garotas e seus pretendentes — inclusive os oficiais de alta patente encarregados de proteger o grupo durante essa longa jornada. Conforme a escolta militar percebe uma conspiração se formando, Sage é recrutada por um belo soldado para conseguir informações. Quanto mais descobre em sua espionagem, mais ela se envolve numa teia de disfarces, intrigas e identidades secretas. E, com o destino do reino em jogo, a última coisa que esperava era viver um romance de tirar o fôlego.

Sage Fowler, uma jovem avessa a casamentos e com uma língua bem afiada, está longe de ser considerada uma dama da sociedade para sua época. Ela é descrita como uma mulher inteligente, com uma percepção aguçada, totalmente o oposto das outras damas que a acompanhavam.

Sage acaba se tornando aprendiz de casamenteira e parte em uma comitiva junto com outras damas da nobreza afim de participar de um evento onde acontecem uniões matrimoniais entre grandes famílias. Porém o que a nossa protagonista não previa era ser recrutada para trabalhar como espiã e ajudar a desvendar uma possível conspiração em torno do reino. E quando ela menos espera, está envolvida em mais do que poderia imaginar, inclusive se apaixonar.

Sendo bem sincera com vocês, quando vi o livro pela primeira vez e li a sinopse fiquei bastante empolgada, porém quando comecei minha leitura, tive extrema dificuldade em dar continuidade, pois o início acabou sendo bem confuso pra mim. Não sei se o fato de o livro ser narrado em terceira pessoa, tanto pela perspectiva de Sage quanto pelo ponto de vista dos militares; pois quando esses combatentes começavam a narrar era uma chuva de informações sobre locais, povos e estratégias.

Apesar disso, toda a estratégia que a autora construiu em torno do romance foi de muita inteligência e a parte de espionagem não deixou a desejar, fazendo com que eu me surpreendesse quanto a todo o desfecho do mistério. Então seria mentira se eu dissesse que não fui envolvida do  meio pro fim da história. O final realmente elevou meu nível de adrenalina, principalmente para um primeiro volume.

Finalizo meus comentários sobre O beijo traiçoeiro afirmando que sim, foi uma leitura agradável. Apesar da contextualização confusa do início, aos poucos a leitura decolou de vez e eu já aguardo ansiosa pelo segundo livro da trilogia.  Isso sem falar que o projeto gráfico está muito bonito, eu adorei essa capa e acho que tem tudo a ver com a história. Me despeço recomendando O beijo traiçoeiro. Depois voltem aqui pra me contar como foi a experiência de vocês. Combinado? 😉

“Representamos vários papeis ao longo da vida… isso não faz com que todos sejam mentira”

 

 

ACOMPANHE AS REDES SOCIAIS DO BLOG:

Instagram ❤ Facebook ❤ Google + ❤  Pinterest ❤ Skoob ❤ Twitter ❤  YouTube

08
nov

Resenha | Desejo Insaciável – Kresley Cole (Série Imortais – Livro 1)

Categorias: Livros

Olá, amores!

Não é segredo pra ninguém que eu sou apaixonada por livros com histórias sobrenaturais. Dizer que tenho uma queda, é pouco, eu tenho um verdadeiro tombo, rsrsrs.

O livro da vez foi esse amorzinho HOT, que também é uma dos meus gêneros favoritos.

Título: Desejo Insaciável / Autor (a): Kresley Cole / Editora: Valentina

Páginas: 352  Série: Imortais – Vol. 1 / Skoob: Adicione / Minha avaliação: ★★★

  —

A história começa falando sobre Emmaline, nossa protagonista, que era fruto da união de uma Valquíria e um vampiro, então por herança ela era metade dos dois. O livro fala sobre suas origens e, principalmente, sobre como ela buscava conhecer a si mesma.

Emma sempre foi rotulada como indefesa, frágil, pequena, sem talento. Ela cresceu ao lado de suas tias e sua mãe adotiva, que eram todas valquírias e sempre a protegiam de tudo e até “dela mesma”. Até o dia em que Emma precisava seguir seu caminho e descobrir mais sobre si, porém, antes de sair para sua viagem, Nix uma de suas tias, lhe disse que nessa viagem ela iria fazer aquilo para o qual havia sido destinada. O que seria isso? Que mistérios rondavam a vida de Emmaline?

Já em Paris, em busca de informações sobre seus verdadeiros pais, Emma encontra Laclain, um Likae que até então estava preso nas catacumbas abaixo da cidade. Ele fora aprisionado havia mais de um século, mas ao sentir o cheiro de Emma (sua prometida), ele lutou com todas as forças que lhe restava para conseguir se libertar. Laclain não podia e não queria perdê-la, não depois de já ter procurado tanto por ela.

Já livre de seu cativeiro, e ainda meio confuso com o século em que estavam, ele sai à sua procura e, e quando a encontra, ele a sequestra, cheio de autoritarismo pra cima da pequena Emmaline, que não entende nada, só treme de medo.  Nesse momento do livro eu já estava “oi bresel? Como assim?

Fiquei revoltada com a forma como ele a tratou; bruto, cheio de ordens e dono da razão. Ele achou que o fato dela ser “sua”, lhe dava o direito de ter posse dela e da sua vida, lhe privando do direito de escolha. Foi um misto de amor e ódio por Laclain. Em alguns momentos era doce, carinhoso e cuidadoso com ela, já em outros, lhe tratava com arrogância e queria lhe impor seus desejos e vontades, é meio que chocante como você pode sentir as emoções da história, porque eu gostava do Laclain à medida que Emma também gostava, bem louco, eu sei.

Ao longo da história, Emma começa a se perguntar como era possível ela está desenvolvendo sentimentos e desejos por aquele que havia lhe sequestrado, mas era inevitável negar a atração que ela sentiu instantaneamente ao vê-lo pela primeira vez. Ele despertou nela desejos que até então ela nem sabia que existiam, lhe permitiu conhecer melhor até mesmo seu corpo, e devido ao desejo de se “libertar” dele, ela passou até a perceber que não era tão fraca como pensava. Pouco a pouco, Emma vai se apaixonando pelo Rei dos Likaes, mas ainda assim, tenta fugir de seus desejos mais profundos.

Já de volta a seu castelo, Laclain tenta ao máximo fazer Emma ficar, ela está mais forte, conhece mais de si mesma do que nunca achou que conheceria, e mesmo assim tem medo de viver esse amor, nesse meio tempo em que eles viajam até o castelo, acontece de tudo, (não chorem por que não vou dar spoiler). E essa viajem faz com que Emma e Laclain desenvolvam uma conexão maior entre si, até que na noite de lua cheia… BUMMMM! O inevitável acontece, Emma se entrega ao seu desejo por Laclain e, tomada por ele, em seus braços, se proclama sua, eternamente.

Seria bom se nesse momento de final feliz tudo estivesse resolvido, mas ainda existiam questões pendentes, como a vingança de Laclain a Demestriu (rei dos vampiros e quem havia lhe aprisionado), a busca por respostas de Emma, o fato de que sua família nunca aceitaria sua união com Laclain, e o mais importante: qual seria o destino para o qual a adorável Emma estava reservada?!

Desejo Insaciável tem uma leitura leve, as vezes descontraída, cheia de mistérios e com personagens que você quer também saber qual o fim de suas histórias. Achei um livro muito bom, mas acredito que a autora poderia ter explorado mais o romance dos personagens principais. O que teve mais ênfase não foi a história de amor, e sim um autoconhecimento e crescimento dos protagonistas, o que tornou o grande diferencial do livro, pois a história não virou mais um clichê de “eles viveram felizes para sempre”.

Eles tiveram seu final feliz, mas para isso acontecer cada um percorreu um caminho. Emma traçou sua história em busca da verdade. Sobre suas origens e sobre ela mesma, descobriu ser capaz de fazer muito além do que um dia imaginou, teve de crescer e também aprender a confiar no que seus próprios instintos lhe diziam.

Laclain teve uma jornada difícil de autocontrole, precisou aprender dominar a fera que havia dentro de si, teve que reaprender a viver em uma época diferente, contra tudo o que acreditava, passou a confiar em quem ele antes julgava ser um inimigo, e aprendeu como o peso de um ato não pensado pode mudar muita coisa em sua vida.

Dou a esse livro 3 estrelas porque mesmo achando que foi uma boa leitura, o livro demorou a me “pegar”, mas a história não deixa de ser ótima.

E é isso, amores. Espero que tenham gostado! Vejo vocês na próxima leitura, até lá divirtam-se com novos livros e também com nossas resenhas.

ACOMPANHE AS REDES SOCIAIS DO BLOG:

Instagram ❤ Facebook ❤ Google + ❤  Pinterest ❤ Skoob ❤ Twitter ❤  YouTube

Páginas12345... 27»
Páginas12345... 27»

Helen Dutra - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2017