02
set

Livro BULLYING – Eu sofri. Eu pratiquei. Eu hoje conscientizo. – Mar’Junior

Categorias: Livros

Oi, gente!

Eu posso começar esse post dizendo que adoro ler biografias ou relatos de histórias de vida das pessoas, sejam elas conhecidas ou não. Quando essas histórias são carregadas de lições e superação, a minha curiosidade só aumenta. Por isso, fiquei contente quando o autor Mar’Junior entrou em contato comigo para me presentear com o livro Bullying – Eu sofri. Eu pratiquei. Eu hoje conscientizo, porque ali estava a oportunidade de conhecer mais um cidadão comum, que sofreu muito na vida, mas que deu a volta por cima e hoje realiza um trabalho relevante na sociedade.

BULLYING Eu sofri eu pratiquei Eu hoje conscientizo (2)

Título: Bullying – Eu sofri. Eu pratiquei. Eu hoje conscientizo / Autor (a): Mar´Junior / Editora: Novo Ser Editora / Páginas: 126 / Skoob: Adicione / Compre: Buscapé

Sinopse: Mar’Junior nos brinda com este livro corajoso, em que desnuda não só o que sofreu, mas o que fez sofrer. ‘Mar’ faz desse sofrimento pessoal matéria-prima para que o sofrimento – pelo menos dos tão jovens – seja cada vez mais banido dos seus ambientes. No momento em que tanto se fala do bullying, este é um livro que, não apenas deve ser lido, mas que precisa ser lido.

BULLYING Eu sofri eu pratiquei Eu hoje conscientizo (1)

Em Bullying – Eu sofri. Eu pratiquei. Eu hoje conscientizo, somos levados ao universo de Mar’Junior, que durante toda a sua infância e parte da adolescência sofreu bullying praticado pelo próprio pai, por alguns professores e por colegas de rua e escola.

“Na escola, a criança aprende a escrever a palavra amor, mas é em casa que ela aprende a entender este sentimento.” Página 19

O pai de Mar’Junior perdeu um irmão quando ainda era criança. Isso afetou muito a sua vida, principalmente porque sua mãe o culpou pela morte dele. O pai então passou a vida toda com esse sentimento de culpa, e se tornou um homem frio e violento. Nunca demonstrou carinho pelos filhos, pelo contrário, maltratava verbalmente e fisicamente Mar’Junior e agredia constantemente sua esposa.

Os apelidos maldosos, os constrangimentos e as agressões foram constantes durante a infância do nosso protagonista. E como se não bastasse ter que conviver diariamente com isso, na escola e na rua, onde ele estava longe do pai, outras pessoas se encarregavam de maltratá-lo. Foi realmente uma infância muito sofrida. É triste ler os relatos verdadeiros de uma pessoa que sofreu bullying, mas essencial para entender um pouco mais o assunto.

“Uma das coisas que aprendi é que nossas palavras têm força e têm poder. Se você as recebe e fica quieto, possivelmente você terá este resultado, sendo para o mal ou para o bem.” Página 32

Durante a sua juventude, Mar’Junior deixou de ser a vítima e passou a ser o praticante. É uma fase da qual o autor se sente envergonhado. Prova disso é que há uma reviravolta em sua vida, ele consegue perdoar o pai que tanto lhe fez mal, se arrepende, deixa de ser um homem violento e passa a conscientizar as pessoas sobre os traumas e as marcas que o bullying pode causar.

Hoje, ele tem uma equipe de teatro com quem desenvolve o espetáculo Bullying. Eles se apresentam principalmente em escolas, conscientizando os alunos e educadores sobre essa prática que pode trazer tantas consequências ruins.

“A mudança começa quando acreditamos que nós podemos ter a ação de transformar vidas.” Página 112

BULLYINH Eu sofri eu pratiquei Eu hoje conscientizo (3)

Os capítulos do livro são curtos e a linguagem utilizada é bem informal, de fácil compreensão, como se o autor estivesse conversando com o leitor. Um ponto negativo da leitura é que os capítulos não são narrados em ordem cronológica. O autor explica isso logo no início, deixando claro que escrevia conforme ia se recordando dos fatos. Cheguei a ficar confusa algumas vezes com assuntos que pareciam ter sido encerrados, mas que surgiram novamente mais na frente. Acredito que se a narrativa fosse em ordem cronológica, a experiência de leitura teria sido bem melhor. Mas isso não me fez desistir do livro e talvez nem incomode algumas pessoas.

O que me deixa contente mesmo é saber que há pessoas que se preocupam com esse tema e que desenvolvem ferramentas para poupar outros indivíduos da dor e do sofrimento que só quem sofre bullying pode explicar. Se você tem interesse nesse assunto, essa leitura é uma ferramenta que pode te ajudar muito!

 

 

ME ENCONTRE TAMBÉM AQUI:

Instagram ❤ Facebook ❤ Google + ❤  Pinterest ❤ Skoob ❤ Twitter ❤  YouTube


Comente aqui!

4 Respostas para "Livro BULLYING – Eu sofri. Eu pratiquei. Eu hoje conscientizo. – Mar’Junior"

Rodrigo Bandas - 04-09-2016 (18:51)

Helen, é um superação de vida e eu também gosto de superações e de vida real ou não. Mas o que houve com ele, já sofri Bullyng também e é uma coisa muito difícil mesmo. E muito bom mesmo essa leitura.

Rodrigo Bandas

Responder


Mar'Junior' - 24-10-2016 (17:27)

Upa!
Só hoje me informaram sobre esta resenha..
Super obrigado em perder seu tempo para expor minha história…
Beijos grande
Ah! Em tempo. Hoje o livro só é encontrado diretamente comigo.
Mar’

Responder


Cia Atores de Mar' - 27-12-2016 (13:01)

livro digital na Amazon http://a.co/cC5hY7T

Responder


Helen Dutra » Blog Archive » Meta literária 2016 - 29-12-2016 (01:12)

[…] Bullying – Eu sofri, eu pratiquei, eu hoje conscientizo – Mar’Júnior […]


Helen Dutra - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2017