10
out

Resenha | Pensei que fosse verdade – Huntley Fitzpatrick

Categorias: Livros

Oi, gente!

Vamos começar essa semana linda falando sobre livros? A resenha de hoje é de um dos lançamentos mais recentes da Editora Valentina, o Pensei que fosse verdade, que vai abordar temas como escolhas, futuro, amizades, expectativas e todos os questionamentos comuns na vida de qualquer adolescente.

livro-pensei-que-fosse-verdade

Título: Pensei que fosse verdade / Autor (a): Huntley Fitzpatrick / Editora: Valentina / Páginas: 336

 Skoob: Adicione / Compre: Buscapé / Minha avaliação: ★★★★

Sinopse: A ilha de Seashell, onde passei minha vida inteira, é tudo isso e muito mais. No entanto, a única coisa que eu quero é ir embora daqui. Gwen Castle nunca quis tanto dizer adeus à sua ilha natal quanto agora: o verão em que o Maior Erro da Sua Vida, Cassidy Somers, aceita um emprego lá como faz-tudo. Ele é um garoto rico da cidade grande, e ela é filha de uma faxineira que trabalha para os veranistas da ilha. Gwen tem medo de que esse também venha a ser o seu destino, mas, justamente quando parece que ela nunca vai conseguir escapar do que aconteceu – ou da ilha –, o passado explode no presente, redefinindo os limites de sua vida. Emoções correm soltas e histórias secretas se desenrolam, enquanto Gwen passa um lindo e agitado verão lutando para conciliar o que pensou que fosse verdade – sobre o lugar onde vive, as pessoas que ama, e até ela mesma – com o que de fato é. Da aclamada autora de Minha Vida Mora ao Lado, um romance sobre um amor “impossível”, cheio de expectativas e arrependimentos, humor e… perguntas difíceis.

resenha-pensei-que-fosse-verdade-huntley-fitzpatrick

A sinopse desse livro diz praticamente tudo o que você precisa saber sobre ele. Trata-se de um young adult narrado em primeira pessoa, pelo ponto de vista da protagonista, Gwen Castle, uma garota de família humilde e que vive na ilha de Seashell. Ela é filha de uma faxineira e do dono de uma lanchonete. Os pais são separados e ela mora com a mãe, uma apaixonada por romances de época, com o avô, que está constantemente preparando peixes, com o irmão Emory, uma criança com necessidades especiais, e o primo Nic, com quem divide tudo desde a infância. Viv é a melhor amiga de Gwen e vive um relacionamento perfeito com Nic. Os três cresceram juntos, são confidentes e têm perspectivas diferentes sobre o futuro.

Gwen, como qualquer outra garota, fez escolhas erradas no passado, principalmente relacionadas a sua vida sexual. Devido à isso, ela não tem uma reputação muito boa. O fato é que entre os rapazes com quem ela se relacionou está Cass Somers, o garoto rico/lindo/educado/fofo que é o novo faz-tudo da ilha. Até boa parte do livro, não sabemos o que aconteceu com eles anteriormente, apenas que ela tem muita mágoa, embora seja inegável a enorme atração que sente por ele. E vice-versa.

Para ajudar nas despesas de casa, Gwen arranja um trabalho durante o verão como acompanhante de uma senhora muito simpática. Parece perfeito! O trabalho não é pesado e ela ainda terá algumas horas livre pra curtir o verão, mas Gwen vai ter constantes encontros com Cass, que por ser expulso de uma escola, o pai tenta fazer com que ele valorize a vida que tem e o obriga a trabalhar na equipe de manutenção da ilha.

“Eu só queria ir embora daqui para algum lugar. Algum lugar totalmente diferente.”

A nossa protagonista  lida com vários sentimentos e situações ao mesmo tempo e sua expectativa para o futuro está em sair da ilha, em busca de um futuro melhor. Seu maior medo, no entanto, é acabar como a mãe, fazendo faxinas para os donos das casas de veraneio.

livro-pensei-que-fosse-verdade

Eu demorei mais do que imaginava pra ler esse livro. Pra mim, não funcionou como uma daquelas leituras que se faz em um dia, como muitos leitores conseguem realizar. Foi mais uma leitura semanal, sabe? E acho que isso se deve ao fato de que levei muito tempo pra me apegar aos personagens e me situar na história. Além dos protagonistas Gwen e Cass, o livro também tem muitos personagens secundários (até o sofá tem nome, o Mirto, sem falar no cachorro com nome de gente, o Fábio kkk). Mas quando eu percebi quem era quem na trama, a leitura fluiu mais rápida e fui mergulhando nas histórias complementares, que são muito bem desenvolvidas. Não fica apenas no casal protagonista, aos poucos vamos descobrindo segredos, conflitos e coisas que pensávamos que era verdade.

Eu gosto muito de estórias que envolvam dramas familiares e, apesar de essa ser uma narrativa bem leve, os conflitos que acontecem no seio da família são muito reais. Gwen é uma adolescente madura para idade dela. O fato de ter que trabalhar para ajudar nas despesas de casa, além de ser responsável por cuidar do irmão menor, contribuíram para esse amadurecimento. Cass também é um cara legal, que gosta muito de Gwen. Durante o verão em que ele trabalha como faz-tudo é que os dois realmente tem a oportunidade de mostrarem um ao outro quem verdadeiramente são. Ver o relacionamento deles dando certo na base da confiança e da sinceridade é muito lindo, mas isso só acontece quando os dois estão prontos para se perdoarem e esquecerem os erros do passado.

Talvez eu tenha me calado porque não sei o que dizer. Ou talvez porque finalmente entendi que às vezes nós nos apegamos a uma coisa, uma pessoa, um ressentimento, um arrependimento, uma ideia de quem somos… porque não sabemos o que buscar em seguida. Que o que fizemos antes é o que temos que fazer de novo. Que só há recomeços e segundas chances…”

—–

pensei-que-fosse-verdade-minha-vida-mora-ao-lado

A Editora Valentina fez um trabalho primoroso na diagramação do livro. O projeto gráfico está lindo e se assemelha muito com Minha Vida mora ao Lado, que é outro título da Huntley Fitzpatrick e a próxima leitura que eu pretendo fazer. Esse foi o meu primeiro contato com a autora e, apesar te der me sentido confusa no início, gostei da forma como ela desenvolveu a personalidade dos todos os personagens, que não são perfeitos, e justamente por isso acrescentam ao livro uma boa dose de realidade. Pra quem não dispensa um young adult, Pensei que fosse verdade está recomendadíssimo!

ME ENCONTRE TAMBÉM AQUI:

Instagram ❤ Facebook ❤ Google + ❤  Pinterest ❤ Skoob ❤ Twitter ❤  YouTube

Beijos e até a próxima!


Comente aqui!

11 Respostas para "Resenha | Pensei que fosse verdade – Huntley Fitzpatrick"

TAYNARA BATISTA DE PAULA - 12-10-2016 (05:35)

oi tudo bem?

eu não conhecia esse livro, mas adorei a capa e a premissa, parece ser
muito interessante, não me lembro de ter lido algum livro com dramas familiares, vou colocar na lista de desejados. sua resenha está ótima beijos

Taynara Mello | Indicar Livros
http://www.indicarlivros.com/

Responder


nnt - 12-10-2016 (13:59)

Que livro lindo. Adorei a capa e a lombar. Achei interessante e adorei a resenha, mas nunca tinha ouvido falar. Vou ver se encontro em ebook :/ não estou podendo comprar livros por enquanto.

Um abraço.

Responder


Lia Christo - 12-10-2016 (20:16)

Olá Helen, tudo bem?
Obrigada por sua visita lá no Doces.
Eu ainda não li nada da autora, por isso não tenho muito como opinar. Mas, vou deixar sua dica anotada, e quando puder irei conferir. Gosto muito de YA, e de repente este pode fluir bem para mim.
Bjus
Lia Christo
http://www.docesletras.com.br

Responder


Anya - 13-10-2016 (20:33)

Hey, Helen!
Que resenha mais linda a sua! Sou louca para ler os dois livros da autora, porque já ouvi falarem muito bem. E depois de muito tempo fugindo do gênero, me reapaixonei por young’s adult! haha. Talvez esse seja o melhor momento para lê-lo.
Adorei a sua resenha! Eu era bem confusa sobre o que tratava o livro, e agora, com os quotes que você colocou e a sua opinião sobre o livro, fiquei louca para ler! rs.
Vou lê-lo em breve, e volto para te dizer o que achei!
Mil beijokas!!

Responder


Denise Crivelli - 13-10-2016 (23:16)

Oi
eu quero ler esse livro, já li um da autora e adorei, que bom que curtiu esse apesar de ter demorado para se apegar por conta da quantidade de personagens, mas parece ser legal.

momentocrivelli.blogspot.com

Responder


Daniella - 14-10-2016 (15:29)

Não conhecia o livro, mas aprece ser muito gostosinho de se ler.
Achei a capa bem chamativa e adorei as suas fotos.
Beijos

Responder


Helen Dutra Helen Dutra - outubro 15th, 2016 em 8:42 pm respondeu:

Obrigada pela visita, Daniela.
A capa é lindinha! 🙂

Responder


Ellem Barboza - 23-10-2016 (14:41)

Esse livro parece ter uma história bem legal mesmo, fiquei curiosa pra ler, já vou adicionar na minha listinha haha’
Eu gosto muito desses personagens imperfeitos e adoro histórias com segredos kkk’
E achei a capa tão linda <3
Beijos

Responder


Helen Dutra Helen Dutra - outubro 28th, 2016 em 7:22 pm respondeu:

Quem não gosta de um bom segredo, né Ellem? haha
Eu adoro também! 🙂 Bjos!

Responder


Helen Dutra » Blog Archive » Resenha | Minha vida mora ao lado – Huntley Fitzpatrick - 28-10-2016 (19:58)

[…] é o segundo livro que leio da Huntley Fitzpatrick. O primeiro foi o Pensei que fosse verdade, que também é uma história com protagonistas adolescentes e que se passa no verão, também […]


Helen Dutra » Blog Archive » Retrospectiva Valentina 2016 – Fortaleza CE - 28-11-2016 (23:56)

[…] foram os ganhadores dos livros Pensei que fosse verdade, Quando finalmente voltará a ser como nunca foi e Sem Olhar para […]


Helen Dutra - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2017