13
mar

Resenha | A Garota do Cemitério – Livro 1: Os Impostores – Charlaine Harris, Christopher Golden e Don Kramer

Categorias: Livros

Olá, leitores!

Aqui quem escreve é a Ileana Dafne e esse é o meu primeiro post no blog. Para minha estreia por aqui, vou falar um pouco sobre A Garota do Cemitério, a primeira HQ da Editora Valentina.

—-

—-

Título: Os Impostores / Autor (a): Charlaine Harris e Christopher Golden

Ilustrador: Don Kramer / Editora: Valentina / Páginas: 128

 Skoob: Adicione / Compre: Buscapé / Minha avaliação: ★★★★

Sinopse: Ela adotou o nome Calexa Rose Dunhill, inspirada numa lápide do sombrio ambiente em que acordou, ferida e apavorada, sem qualquer lembrança de sua identidade, de quem a jogou lá para morrer ou mesmo do porquê.
Fez do cemitério o seu lar, vivendo escondida numa cripta. Mas Calexa não pode se esconder dos mortos – e, quando descobre que possui a estranha capacidade de ver as almas se desprenderem de seus corpos…
Então, certa noite, Calexa presencia um grupo de jovens praticando uma sinistra magia. Horrorizada, testemunha o ato insano que eles cometem. Quando o espírito da vítima abandona o corpo, ele entra em Calexa, atormentando sua mente com visões e lembranças que parecem não ser dela.
Agora, Calexa deve tomar uma decisão: continuar escondida para se proteger – afinal, alguém acredita que ela está morta – ou sair das sombras para trazer justiça ao angustiado espírito que foi até ela em busca de ajuda?

—-
Os Impostores é a primeira parte de uma trilogia chamada A Garota do Cemitério que possui formato de HQ. A história foi criada por Charlaine Harris e Christopher Golden e a arte ficou com Don Kramer. Harris é a autora de mistério e fantasia e escreveu a série de livros que deu origem à aclamada série televisiva True Blood. Golden é autor dos romances de Peter Octavian e da série de suspense Body of Evidence. E Kramer já foi o responsável pelas artes e capas de vários projetos da Marvel e da DC Comics, inclusive as HQs JSA e Detective Comics.

Aqui somos apresentados à Calexa Rose Dunhill, uma moça cujas lembranças começam a partir do momento em que acorda após ser deixada para morrer no cemitério. Ela não sabe realmente quem é nem por que alguém iria querê-la morta.


“Tenho certeza de que morri. Por um minuto, no mínimo. Não sei por quanto tempo. Quando se está morto é difícil falar de tempo.”

—-

Nós vamos acompanhando sua busca por informações e a luta dela pela sobrevivência até o momento em que ela presencia um ritual macabro no cemitério e se vê numa situação totalmente inesperada. A partir de então uma nova história ganha espaço e sua busca por respostas fica mais emocionante e passamos a entender mais um pouco sobre os mistérios que rondam Calexa. Durante essa jornada para se descobrir e conseguir resolver o novo problema, ela faz amizades bastante especiais.


“Não sei para onde eles vão, quero dizer, os espíritos… Mas é óbvio que há alguma coisa após a morte.”


A narrativa é fantástica e me prendeu completamente. Li bastante rápido, sentei para ler num dia e em menos de uma hora já havia terminado. A forma como a Harris e o Golden desenvolveram a história foi bastante fluida e muito bem construída. Os personagens, mesmo que esse sendo o primeiro volume e não trazendo muitas informações, são bem desenvolvidos e cativantes, nos importamos com o que pode vir a acontecer com eles. A história é narrada pela Calexa, mas não ficamos presos à somente o que acontece com ela e eu achei isso fabuloso!

Amo HQs e os traços desse primeiro volume de A Garota do Cemitério são lindos!!! Adorei a forma como o Kramer faz os desenhos, deixando os traços realistas.

——–
“Não posso contar a Kelner nem a Lucinda. Se eles souberem que estou em perigo, não vão pensar duas vezes em avisar a polícia. E eu ainda não estou pronta para isso.”

—-

—-

E preciso falar da edição da Editora Valentina. Está fabulosa!!! As folhas são perfeitas e a impressão não fica atrás. Só que teve um detalhe que me fez ter uma leve decepção com essa HQ: as páginas não são numeradas. Pode ser algo sem importância, mas estou acostumada a não usar marcadores e sempre decorar o número da página que parei a leitura para depois retomá-la. Mesmo que o tenha lido bem rápido e sem paradas, essa falta de numeração me deixou bastante incomodada.

Contudo a história é excelente e super recomendo-a a todos que curtem um bom mistério com elementos sobrenaturais e um drama bem contado. E claro que estou ansiosa pelos outros dois volumes!

Até a próxima!

Helen Dutra - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2020