22
nov

Resenha | O beijo traiçoeiro – Erin Beaty

Categorias: Livros

Pra quem gosta de livros envolvendo espionagem e mistério, apresento-lhes O beijo traiçoeiro, de Erin Beaty. Esse é o primeiro volume da trilogia Traitor’s, lançado aqui no Brasil pela Editora Seguinte.

Título: O beijo traiçoeiro / Editora: Seguinte / Páginas: 440

Autor (a): Erin Beaty / Skoob: Adicione / Minha avaliação: ★★★

Sinopse: Com sua língua afiada e seu temperamento rebelde, Sage Fowler está longe de ser considerada uma dama — e não dá a mínima para isso. Depois de ser julgada inapta para o casamento, Sage acaba se tornando aprendiz de casamenteira e logo recebe uma tarefa importante: acompanhar a comitiva de jovens damas da nobreza a caminho do Concordium, um evento na capital do reino, onde uniões entre grandes famílias são firmadas. Para formar bons pares, Sage anota em um livro tudo o que consegue descobrir sobre as garotas e seus pretendentes — inclusive os oficiais de alta patente encarregados de proteger o grupo durante essa longa jornada. Conforme a escolta militar percebe uma conspiração se formando, Sage é recrutada por um belo soldado para conseguir informações. Quanto mais descobre em sua espionagem, mais ela se envolve numa teia de disfarces, intrigas e identidades secretas. E, com o destino do reino em jogo, a última coisa que esperava era viver um romance de tirar o fôlego.

Sage Fowler, uma jovem avessa a casamentos e com uma língua bem afiada, está longe de ser considerada uma dama da sociedade para sua época. Ela é descrita como uma mulher inteligente, com uma percepção aguçada, totalmente o oposto das outras damas que a acompanhavam.

Sage acaba se tornando aprendiz de casamenteira e parte em uma comitiva junto com outras damas da nobreza afim de participar de um evento onde acontecem uniões matrimoniais entre grandes famílias. Porém o que a nossa protagonista não previa era ser recrutada para trabalhar como espiã e ajudar a desvendar uma possível conspiração em torno do reino. E quando ela menos espera, está envolvida em mais do que poderia imaginar, inclusive se apaixonar.

Sendo bem sincera com vocês, quando vi o livro pela primeira vez e li a sinopse fiquei bastante empolgada, porém quando comecei minha leitura, tive extrema dificuldade em dar continuidade, pois o início acabou sendo bem confuso pra mim. Não sei se o fato de o livro ser narrado em terceira pessoa, tanto pela perspectiva de Sage quanto pelo ponto de vista dos militares; pois quando esses combatentes começavam a narrar era uma chuva de informações sobre locais, povos e estratégias.

Apesar disso, toda a estratégia que a autora construiu em torno do romance foi de muita inteligência e a parte de espionagem não deixou a desejar, fazendo com que eu me surpreendesse quanto a todo o desfecho do mistério. Então seria mentira se eu dissesse que não fui envolvida do  meio pro fim da história. O final realmente elevou meu nível de adrenalina, principalmente para um primeiro volume.

Finalizo meus comentários sobre O beijo traiçoeiro afirmando que sim, foi uma leitura agradável. Apesar da contextualização confusa do início, aos poucos a leitura decolou de vez e eu já aguardo ansiosa pelo segundo livro da trilogia.  Isso sem falar que o projeto gráfico está muito bonito, eu adorei essa capa e acho que tem tudo a ver com a história. Me despeço recomendando O beijo traiçoeiro. Depois voltem aqui pra me contar como foi a experiência de vocês. Combinado? 😉

“Representamos vários papeis ao longo da vida… isso não faz com que todos sejam mentira”

 

 

ACOMPANHE AS REDES SOCIAIS DO BLOG:

Instagram ❤ Facebook ❤ Google + ❤  Pinterest ❤ Skoob ❤ Twitter ❤  YouTube

12
maio

Resenha | Cartas de amor aos mortos – Ava Dellaira

Categorias: Livros

Olá, queridos leitores!

Como resenha de estreia nesse blog super fófis e amorzinho, venho até vocês falar um pouco sobre minha experiência com a leitura desse livro que é simplesmente M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O!!!

Você pode achar o título bem subjetivo, e até imaginar que se trata de uma leitura cansativa, ou deprimente, mas já nas primeiras páginas você vê que esse livro trata de assuntos importantes, e mostra uma jornada de autoconhecimento, e brilhantes citações, com a qual você se apaixona mais a cada página lida e até para um pouco para refletir.

Se até aqui você já se sentiu intrigado a descobrir do que essa belezinha fala, então sugiro que se segure a sua cadeira, porque vamos embarcar juntos nessa história.

Título: Carta de amor aos mortos / Autor: Ava Dellaira / Editora: Seguinte / Páginas: 344

 Skoob: Adicione /  Compare e Compre: Buscapé / Minha avaliação: ★★★★

Sinopse: Tudo começa com uma tarefa para a escola: escrever uma carta para alguém que já morreu. Logo o caderno de Laurel está repleto de mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heath Ledger, Judy Garland, Elizabeth Bishop… apesar de ela jamais entregá-las à professora. Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. Ao mesmo tempo, conta sobre sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky.
Mas Laurel não pode escapar de seu passado. Só quando ela escrever a verdade sobre o que se passou com ela e com a irmã é que poderá aceitar o que aconteceu e perdoar May e a si mesma. E só quando enxergar a irmã como realmente era — encantadora e incrível, mas imperfeita como qualquer um — é que poderá seguir em frente e descobrir seu próprio caminho.

Laurel, adolescente, confusa, deprimida, extremamente solitária, sente a dor da perda de sua irmã (que era como seu guia de vida) esmagar seu coração todos os dias, desde aquele momento em que ela se viu obrigada a vê-la partir. Ela deveria ter ido para a escola onde todos os seus amigos fariam o ensino médio juntos, mas, devido à sua perda, resolve recomeçar em uma nova escola.

Em sua cabeça, estar em um lugar novo evitaria os olhares de pena, as perguntas sem resposta, e lhe permitiria embarcar em uma jornada de autoconhecimento. Sua mãe estava longe, seu pai, mesmo perto, parecia guardar tanta tristeza, que ela achava que só em tocá-lo ele transbordaria sua dor, então ela se manteve distante.

—-

“… na vida, a gente nunca tem certeza do que vai acontecer, mesmo que planeje tudo.” Pág. 38

Laurel teve sua voz calada no dia em que sua irmã morreu, e foi logo na primeira aula de inglês que ela descobriu uma forma de falar o que não podia dizer em voz alta.

As cartas deveriam ser entregues a sua professora, a Sra. Buster, mas na verdade, ela nunca conseguiu entregá-las. Basicamente todos os dias ela escrevia, e mesmo assim sentia como se algo estivesse preso e ela não conseguisse falar; Laurel sentia-se solitária, não fosse por Sky, o belo jovem que fazia seu coração se aquecer.

Lembrando-se das palavras de Amelia Earhart, que disse “na vida, podemos ser mais que passageiros”, ela enche-se de coragem e faz suas primeiras amizades: Natalie, amante das artes e Hannah, que sonha um dia ser cantora, logo depois vem Tristan e sua namorada Kristen, que já estão no 3º ano, juntos com Sky, por quem ela já está caidinha!

—-

Tudo poderia ser perfeito a partir dali, mas com as novas amizades vieram também os dramas pessoais de cada um, e Laurel é o tipo de pessoa que tem um coração que bate fora do peito; ela vivia intensamente seus próprios traumas, e isso ia além da morte de sua irmã. O fato de ela não falar com seus amigos a respeito e nem com qualquer outra pessoa, a não ser expressando-se pelas cartas, fez com que ela só aumentasse seu ponto de interrogação a respeito do rumo em que sua vida seguiria.

Laurel estava perdida em sua própria história, e seu coração ficava cada vez mais pequenininho. Tudo batia em sua cabeça ao mesmo tempo: a distancia de sua mãe, sua tia Amy sempre tão amável, mas presa em uma vida solitária, seu pai perdido em sua dor, a morte de May… Ela poderia tê-la salvado? Como tudo seria se ela ainda estivesse com ela? Será mesmo que era de salvação que ela precisava, ou apenas de tempo para descobri seu próprio caminho?

Para Laurel, May era uma lua, em torno de quem todos se juntavam, e ela achava que enquanto tivesse sua irmã, tudo ficaria bem. Mas a verdade era bem diferente, Laurel nunca soube muito como se expressar, e por isso tudo se tornou mais difícil entre ela e Sky. Será que seria o fim para eles? Como as coisas na vida de Laurel ficaram tão confusas? Qual o ponto ela deve partir para fazer tudo dar certo? Será que entra ela e Sky será possível uma história de amor?

Quer descobrir a respostas dessas e de outras interrogações? Eu sugiro você ir até o final dessa leitura pra descobrir o que te espera.

“… não somos transparentes.

Se quisermos que alguém nos conheça,

precisamos nos revelar a essa pessoa.”

 —

Cartas de amor aos mortos veio como dois mundos paralelos: um onde a mocinha tenta superar suas limitações, seus medos, sua dor, amar seus novos amigos, ajudá-los em seus sofrimentos, e ainda tentar viver seu romance, com o medo de perdê-lo devido ao passado. Mas o que será que ela realmente esconde? Será que Laurel conseguirá dizer adeus a sua amada irmã?

A outra metade do livro nos faz olhar para artistas famosos de maneira diferente, será que sua morte teve algum significado além do que antes nós já havíamos julgado ser correto?

“Às vezes, quando falamos, ouvimos o silêncio. Ou apenas ecos. Como gritos vindos de dentro. E isso é muito solitário, só acontece quando não estamos prontos para ouvir. Porque toda vez que falamos, há uma voz. Existe o mundo que responde.” Pág. 323

 

Se você quer também se emocionar com Cartas de amor aos mortos, te incentivo a fazer essa leitura. É delicioso tudo o que esse livro pode despertar em você ao longo de cada página. É uma mistura de grandes descobertas, e quando você acha que não pode mais se surpreender, ele vem e desmonta você por inteiro!

 

Um grande beijo e até a próxima!

ACOMPANHE AS REDES SOCIAIS DO BLOG:

Instagram ❤ Facebook ❤ Google + ❤  Pinterest ❤ Skoob ❤ Twitter ❤  YouTube

20
jan

Resenha | A Escolha – Kiera Cass

Categorias: Livros

Oi gente!

Essa é a primeira resenha literária do ano, mas o livro foi lido ainda em 2015 (mostrei minha lista de leitura nesse post AQUI). Como eu sou fã dessa série e quero incentivar o maior número de pessoas possíveis a lerem esses livros, compartilho com vocês, mesmo um pouco atrasada, algumas das minhas impressões sobre A Escolha, de Kiera Cass.

Resenha A ESCOLHA (1)

Título: A Escolha / Autor (a): Kiera Cass / Editora: Seguinte

Páginas: 352 / Série: A Seleção / Skoob: Adicione / Minha avaliação: ★★★★★

Sinopse: America era a candidata mais improvável da Seleção: se inscreveu por insistência da mãe e aceitou participar da competição só para se afastar de Aspen, um garoto que partira seu coração. Ao conhecer melhor o príncipe, porém, surgiu uma amizade que logo se transformou em algo mais… No entanto, toda vez que Maxon parecia estar certo de que escolheria America, algum obstáculo fazia os dois se afastarem. Um desses obstáculos era Aspen, que passou a ocupar o posto de guarda no palácio e estava decidido a reconquistar a namorada. Em encontros proibidos, ele a reconfortava em meio àquele mundo de luxos e rivalidades. Com essas idas e vindas, America perdeu um pouco de espaço no coração do príncipe, lugar que foi prontamente ocupado por outra concorrente. Para completar, o rei odiava America e a considerava a pior opção para o filho. Assim, tentava sabotar a relação dos dois, inventando mentiras e colocando a garota em prova a todo instante. Agora, para conseguir o que deseja, America precisa cortar os laços com Aspen, conquistar o povo de Illéa e conseguir novos aliados políticos. Mas tudo pode sair do controle quando ela começa a questionar o sistema de castas e a estratégia usada para lidar com os ataques rebeldes.

Resenha A ESCOLHA (2)

Pra quem ainda não conhece, A Escolha é o terceiro livro da série A Seleção, uma distopia em que a população é dividida por castas, o governo é monarca e o príncipe escolhe sua futura rainha através de um concurso televisionado que reúne trinta e cinco garotas de Illéa. Nos livros anteriores conhecemos as candidatas da Seleção, o príncipe e sua família, o sistema de governo, vimos alguns ataques rebeldes e fomos surpreendidos com um perigoso triângulo amoroso. É somente nesse volume da série que vamos descobrir quem vai ficar com a coroa e com o coração do príncipe Maxon.

Logo no início do livro, America parece estar super decidida a ficar com Maxon e lutar por aquilo que acredita, mas com tantas guerras políticas, intrigas e mentiras, não tem como ter certeza de que eles realmente ficarão juntos, por mais previsível que o final possa parecer. Ficamos tão angustiados com as dúvidas dos protagonistas, que chega a causar um pouco de irritação. Outra coisa que me incomodou um pouco foi o fato de os dois serem extremamente orgulhosos em relação aos seus sentimentos. De qualquer forma, não tem como não amar Maxon e torcer por esse casal.

E esquecendo um pouco do romance, em A Escolha, a autora dá mais atenção a distopia em si. Claro que o romance Maxon-America-Aspen continua sendo o foco da série, mas nesse volume mergulhamos muito mais nas questões políticas e sociais do país.

Resenha A ESCOLHA (3)

Resumindo: eu gostei muito de todos os livros da série. A Escolha em especial me fez sentir várias emoções diferentes; sorri, chorei, torci, me irritei, me alegrei… enfim, acho incrível como uma autora consegue causar todas essas sensações em um leitor, por isso e por tantos outros motivos, eu passei a amar Kiera Cass. A forma que ela escreve é fascinante! De não largar o livro até ele acabar. Por falar nisso, fiquei bem satisfeita com o desfecho dos personagens. Acredito que foi um final justo para os fãs da série. Ficaram algumas dúvidas mal respondidas, mas nada que me fizesse mudar de opinião. A série é MARAVILHOSA e agora só me resta muita saudade.

“Eu o amava. Era incapaz de apontar precisamente o motivo de tanta certeza, mas soube na hora, com a mesma certeza com que sabia meu nome ou a cor do céu ou qualquer coisa escrita em um livro.” Página 95

 

ME ENCONTRE TAMBÉM AQUI:

Instagram ❤ Facebook ❤ Google + ❤  Pinterest ❤ Skoob ❤ Twitter ❤  YouTube

Um super beijo, fiquem com Deus!

Páginas12

Helen Dutra - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2018