06
set

Resenha | O Sorriso da Hiena – Gustavo Ávila

Categorias: Livros

Já anota aí a dica de um suspense psicológico incrível: O Sorriso da Hiena, do autor nacional Gustavo Ávila. O livro foi recentemente publicado pela Editora Verus, mas já fazia um enorme sucesso na internet, através da publicação independente do autor. Inclusive eu já tinha interesse em fazer essa leitura há um bom tempo, por isso fiquei muito feliz quando soube que uma editora tão importante resolveu reproduzir essa história.

Já deu pra perceber o quanto esse livro é querido, né? Pois fica de olho na resenha, que vou te contar um pouco de como foi essa experiência de leitura.

—-

Título: O Sorriso da Hiena / Autor (a): Gustavo Ávila / Editora: Verus

Páginas: 266 / Skoob: Adicione / Compre: Buscapé / Minha avaliação: ★★★★★

Sinopse: Atormentado por achar que não faz o suficiente para tornar o mundo um lugar melhor, William, um respeitável psicólogo infantil, tem a chance de realizar um estudo que pode ajudar a entender o desenvolvimento da maldade humana. Porém, a proposta feita pelo misterioso David coloca o psicólogo diante de um complexo dilema moral. 
Para saber se é uma pessoa má por ter presenciado o brutal assassinato dos seus pais quando tinha apenas oito anos, David planeja repetir com outras famílias o mesmo que aconteceu com a dele, dando a William a chance de acompanhar o crescimento das crianças órfãs e descobrir a influência desse trauma na vida delas.
Até onde ele será capaz de ir? É possível justificar o mal quando há a intenção de fazer o bem?

O Sorriso da Hiena é um daqueles livros com final surpreendente e de tirar o fôlego. Ele é narrado em terceira pessoa, a partir do ponto de vista de três homens distintos: David, Artur e William.

David era só uma criança que ficou órfã aos oito anos de idade quando assistiu ao brutal assassinato dos pais. Vinte e quatro anos depois, ele se torna um serial killer e planeja repetir com outras famílias o que aconteceu com a dele.

É aí que entra em cena Artur, o detetive responsável por desvendar os crimes e colocar o assassino atrás das grades. Ele fora diagnosticado desde criança com síndrome de Asperger, um tipo de autismo que molda a pessoa com certas particularidades, o que o torna um sujeito esperto e excêntrico. Sem dúvidas, esse foi o personagem que mais me atraiu.

O último protagonista que apresento a vocês é William, o psicólogo infantil contratado pela polícia para acompanhar crianças que foram vítimas de violência. Ele fez uma tese de doutorado sobre o desenvolvimento da maldade humana, porém seu estudo era formado apenas por questões hipotéticas, visto que para confirmar sua tese ele teria que ter casos reais de assassinatos com as mesmas características.

A trama fica ainda mais interessante quando David propõe a William um acordo perigoso: ele continuaria cometendo o mesmo crime com vários casais para que o psicólogo pudesse estudar as crianças, afim de saber se um trauma sofrido na infância seria capaz de transformar a pessoa em um monstro. E com isso o autor levanta uma questão: “é possível justificar o mal quando há a intenção de fazer o bem?

“A única maneira de sobreviver é evoluir para um estado que podemos chamar popularmente de bondade, em que você aprende o que é certo e errado, e em que as pessoas se importam com as outras e não só com suas próprias necessidades.” Página 204

Esse foi o romance de estreia de Gustavo Ávila e eu gostei demais da maneira instigante e inteligente de como ele conduziu a história. Os capítulos são curtos e objetivos, alternando a visão dos três protagonistas. Há ainda a presença de alguns personagens secundários que foram essenciais para a construção de personalidade dos protagonistas e para o desfecho da trama.

Foi muito fácil me envolver com a história e criar minhas próprias teorias sobre os acontecimentos por trás dos crimes. Sem contar que a narrativa fluida e envolvente do autor não me deixou largar o livro enquanto não cheguei ao final.

O Sorriso da Hiena acabou entrando para minha lista de suspenses psicológicos favoritos tanto pela leitura extremamente prazerosa que me proporcionou quanto pelas discussões levantadas sobre a maldade humana. Foi uma leitura rápida, fascinante, inteligente, entusiástica, intensa e, por fim, ímpar, por ser totalmente diferente de tudo que já li e pelo fato do autor ter fugido de esteriótipos.

Então sim, eu A-M-E-I esse livro e encerro essa simples resenha reforçando a recomendação. Não somente para quem apoia a literatura nacional ou adora um thriller psicológico, mas para todos os leitores sedentos de um livro inteligente e dinâmico.

Um beijo e até a próxima!

ME ENCONTRE TAMBÉM AQUI:

Instagram ❤ Facebook ❤ Google + ❤  Pinterest ❤ Skoob ❤ Twitter ❤  YouTube

Helen Dutra - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2017