21
ago

Resenha: A última carta de amor – Jojo Moyes

Categorias: Livros

É sempre difícil escrever uma resenha. Quando é sobre um livro que gostamos muito, fica mais complicado ainda. Esse é o quarto livro que leio da Jojo Moyes, e a cada leitura ela consegue me cativar ainda mais.

resenha a última carta de amor jojo moyes

Sinopse: Londres, 1960. Ao acordar em um hospital após um acidente de carro, Jennifer Stirling não consegue se lembrar de nada. Novamente em casa, com o marido, ela tenta sem sucesso recuperar a memória de sua antiga vida. Por mais que todos à sua volta pareçam atenciosos e amáveis, Jennifer sente que alguma coisa está faltando. É então que ela descobre uma  série de cartas de amor escondidas, endereçadas a ela e assinadas apenas por “B”, e percebe que não só estava vivendo um romance fora do casamento como também parecia disposta a arriscar tudo para ficar com seu amante. 

Quatro décadas depois, a jornalista Ellie Haworth encontra uma dessas cartas endereçadas a Jennifer durante uma pesquisa nos arquivos do jornal em que trabalha. Obcecada pela ideia de reunir os protagonistas desse amor proibido – em parte por estar ela mesma envolvida com um homem casado -, Ellie começa a procurar por “B”, e nem desconfia que, ao fazer isso, talvez encontre uma solução para os problemas de seu próprio relacionamento.

Com personagens realísticos complexos e uma trama bem-elaborada, A última carta de amor entrelaça as histórias de paixão, adultério e perda de Ellie e Jennifer. Um livro comovente e irremediavelmente romântico. 

resenha a última carta de amor

Logo no início do livro somos apresentados a Ellie Haworth, uma jornalista que tem um caso com um homem casado e que parece não se importar muito com ela (não tanto quanto ela se importa com ele). O ano é 2003 e ela descobre, nos arquivos do jornal em que trabalha, uma carta apaixonada endereçada a Jennifer, e logo se interessa pelo casal do romance proibido, em parte por precisar de uma matéria nova para o jornal, mas principalmente por ela mesma estar vivendo uma situação parecida.

É nesse momento que fazemos uma viagem no tempo e chegamos em 1960, quando a linda Jennifer Stirling tenta voltar a sua antiga vida, após um acidente de automóvel. O problema maior é que ela perdeu parte da memória e nem mesmo a vida luxuosa, o marido Laurence, e seus amigos mais próximos conseguem fazer com que ela se sinta menos deslocada. É quando Jennifer encontra uma carta escondida em um livro, endereçada a ela, e assinada apenas por “B”. Ela se dá conta de que tinha um amante e, a partir daí, as coisas começam a fazer sentido; por isso ela não consegue se encaixar na vida que aparentemente levava, por isso que ninguém nunca fala como aconteceu o acidente, por isso que ela não consegue amar seu marido. Jennifer então inicia uma busca pelo possível amante, e mesmo sabendo tão pouco sobre ele, está decidida a encontrar o homem por trás daquela e de outras cartas. E novamente voltamos ao tempo, dessa vez com a Jennifer apaixonada antes do acidente.

“Ele foi o amor da minha vida, mas não tenho nenhuma fotografia dele, poucas recordações. Se não fosse pelas cartas, eu poderia achar que imaginei tudo.” Página 288

Tanto Ellie quanto Jennifer viveram romances proibidos na cidade de Londres, mas em épocas diferentes. Suas histórias se entrelaçam ao longo da trama, mostrando como as duas são de fundamental importância na vida uma da outra, mesmo a história de Jennifer parecendo ser mais longa e interessante. Também somos apresentados a outros personagens cativantes como o Rory, que aparece mais lá pro finalzinho do livro e claro, o famoso “B”, autor das tão apaixonadas cartas de amor.

“Mas não existe perdão para pessoas como nós, Ellie. Você pode vir a descobrir que a culpa tem um papel muito maior no seu futuro do que você gostaria. Dizem que a paixão arde por uma razão, e, quando se trata de casos, os protagonistas não são os únicos que saem machucados.” Página 336

resenha a última carta de amor jojo moyes

O livro é esteticamente tão lindo quanto a história! Em cada início de capítulo, a autora publicou mensagens reais entre pessoas através de cartas, mensagens de texto, e-mails, cartões-postais, telegramas e até por Facebook. Tem até um trecho de uma carta da Rainha Elisabeth I. Achei muito fofo esse detalhe! Sem contar que a capa não foge da temática do livro, é uma das capas mais lindas da minha estante.

E apesar de ser um romance com 378 páginas, a leitura flui de forma rápida e leve. Consegui concluir em três noites. Nesse livro, Jojo Moyes abordou com maestria temas como família, traição, amores proibidos, encontros e desencontros. A leitura está mais do que recomendada! Não só para os fãs da autora, mas também para todos os apreciadores de um bom romance, sobretudo, para quem gosta de histórias que intercalam presente e passado.

Vou deixar linkado outros livros da autora que já li, por ordem de preferência:
Como eu era antes de você
Um mais um
A garota que você deixou para trás

ONDE COMPRAR:

AMAZON – AMERICANAS – CULTURA – SARAIVA

ME ENCONTRE TAMBÉM AQUI:

Instagram ❤ Facebook ❤ Pinterest ❤ YouTube

Beijinhos! 

10
jul

RESENHA: Um mais Um – Jojo Moyes

Categorias: Livros

Aqui estou eu tentando começar mais uma resenha de um dos livros de Jojo Moyes. Quem é leitor do blog, já deve ter visto outros títulos dela por aqui. Desde que li Como eu era antes de você, me apaixonei pela narrativa da autora e pela forma como ela envolve o leitor, fazendo com que não larguemos o livro até mesmo depois de termos finalizado a leitura. Ainda me pego, de vez em quando, com meus olhos correndo pelos trechos grifados, numa tentativa de gravar o máximo que conseguir desse lindo e irresistível romance!

um mais um - jojo moyes

Título: Um mais um / Autor (a): Jojo Moyes / Editora: Intrínseca / Páginas: 320

Minha avaliação: ★★★★★

Sinopse: Há dez anos, Jess Thomas ficou grávida e largou a escola para se casar com Marty. Dois anos atrás, Marty saiu de casa e nunca mais voltou. 

Fazendo faxinas de manhã e trabalhando em um pub à noite, Jess mal ganha o suficiente para sustentar a filha Tanzie e o enteado Nicky, que ela cria há oito anos. Jess está muito preocupada com o sensível Nicky, um adolescente gótico e mal-humorado que vive apanhando dos colegas. Já Tanzie, o pequeno prodígio da matemática, tem outro problema: acabou de receber uma generosa bolsa de estudos em uma escola particular, mas Jess não tem condições de pagar a diferença. Sua única esperança é que a menina vença uma Olimpíada de Matemática que será disputada na Escócia. Mas como eles farão para chegar lá? 

Enquanto isso, um dos clientes de faxina de Jess, o gênio da computação Ed Nicholls, decide se refugiar em sua casa de praia por causa de uma denúncia de práticas ilegais envolvendo sua empresa. Entre ele e Jess ocorre o que pode ser chamado de ódio à  primeira vista. Mas quando Ed fica bêbado no pub em que Jess trabalha, ela faz questão de deixá-lo em casa, em segurança. Em parte agradecido, mas principalmente para escapar da pressão dos advogados, da ex-mulher e da irmã – que insiste em que ele vá visitar o pai doente -, Ed oferece uma carona a Jess, os filhos e o enorme cão da família até a cidade onde acontecerá o torneio. 

Começa então uma viagem divertida, repleta de enjoos, comida ruim e engarrafamentos. A situação perfeita para o início de um engraçado romance entre uma mãe solteira falida e um geek milionário.  

um mais um - jojo moyes

A família de Jess Thomas é sem sombras de dúvidas uma encrenca: ela é uma mãe solteira que se desdobra trabalhando para sustentar a filha Tanzie e o enteado Nicky. Engravidou cedo, casou cedo e logo foi abandonada pelo marido e, desde então, não recebe dele nenhum auxílio nem para ela nem para as crianças. Tanzie é uma garota de 10 anos de idade que é um gênio da matemática. Ela ganhou uma generosa bolsa de estudos para uma excelente escola correspondente a 90% da mensalidade. Mesmo assim, sua mãe não tem condições de bancar os 10% restantes. Nicky é o filho da ex namorada do ex marido de Jess. É um adolescente gótico, muito recluso, que vive sofrendo bullying de uns garotos do bairro, o que o torna ainda mais introspectivo. A única coisa que ele gosta é de videogame e baseado. Mas não acaba por aí, a família ainda conta com um enorme cachorro chamado Norman. Essa é a complicada família de Jess, que apesar de todas as dificuldades, mantém a esperança de que as coisas um dia mudem para melhor.

“(…) se nos preocuparmos com os outros e fizermos o que é certo, tudo ficará bem. Não roubar. Não mentir. Fazer o que é certo. De alguma maneira, o universo vai nos ajudar.” Página 214

Ed Nicholls é um empresário geek muito bem sucedido. Tem casas, carros, trabalha no ramo de software, gosta do que faz e vive confortavelmente. Mas se vê envolvido em um escândalo de informações privilegiadas por um erro bobo. Por conta disso, ele decide se refugiar em sua casa de veraneio. É lá que ele encontra Jess, quando ela faz faxina em sua casa e mais tarde no pub, quando ele se embebeda e ela o ajuda a voltar para casa. Detalhe: eles se detestam desde o início.

   “Ed gostava de ordem. Gostava de saber o que iria acontecer. Tudo naquela mulher sugeria o tipo de… ausência de limites que o deixava nervoso.” Página 93

—-

A história toma um rumo diferente quando Jess recebe a notícia de que há uma Olimpíada de Matemática que pode ser a solução para o ingresso de Tanzie na tão sonhada escola. Só há um problema: a competição será na Escócia. Sem medir esforços para realizar o desejo da filha, ela pega o carro velho e sem seguro do ex marido e parte junto com as crianças e o cachorro rumo à Escócia. Mas eles mal conseguem sair do bairro e são parados pela polícia. É nesse momento que Ed surge, e sem pensar muito no que está fazendo, oferece carona a eles até o local da Olimpíada.

“Coisas boas acontecem para pessoas boas. Basta ter fé… Página 159

É então que começa a aventura! Quatro pessoas super diferentes e um cachorro num carro durante dias, se alimentando mal, dormindo mal, discutindo, dando risada, fazendo descobertas, aprendendo um com o outro… é realmente uma viagem incrível, onde começamos a conhecer profundamente todos os personagens. Nicky, apesar de recluso, é um garoto muito bom, se preocupa com a irmã e com a madrasta. Ele me surpreendeu várias vezes, principalmente lá pro finalzinho do livro. Tanzie é uma menina adorável, daquelas crianças impossíveis de não amar. Ed também é um cara legal, errou, mas está tentando concertar os erros, inclusive com sua família. Jess é uma mulher guerreira, teimosa e otimista, como tantas que vemos na “vida real”; mãe, pai e provedora do lar. Apesar de todo sofrimento, o que ela mais deseja é um futuro brilhante para os filhos. E Norman… bom, Norman é um caso especial, ele passa a maior parte da viagem dormindo ou peidando.—-

O romance entre o casal vai surgindo devagarinho, mas de uma forma deliciosa! Jess não se relacionava com ninguém desde de que seu marido fora embora e Ed havia acabado de sair de um casamento complicado. É muito bom ver como eles vão se conhecendo, se descobrindo, se escondendo das crianças… é impossível não torcer por eles!

—-

“Quando ele sorria, ela não conseguia evitar sorrir também. Quando ele parecia triste, algo dentro dela se quebrava de leve. Página 242

—-

Toda a história é narrada em terceira pessoa. Os capítulos são alternados no ponto de vista de cada personagem, assim a narrativa não fica cansativa em nenhum momento, pelo contrário, é super leve, agradável e envolvente! É um livro diferente de tudo o que já havia lido da autora, o que mostra a sua enorme versatilidade. Jojo Moyes apresenta uma história tão real: Quantas Jess Thomas existem por aí? Mulheres que assumem diversos papéis para garantir a sobrevivência e dignidade da família. Quantos Nickys que estão cansados de apanhar e só querem encontrar sua tribo? Quantas garotinhas como Tanzie, que dão duro para chegar a um lugar? E quantos Eds que, por conta de um erro, terão que recomeçar tudo em suas vidas? O que mais me encantou nesse livro foram o personagens. São eles que fazem essa história engraçada, mas também emocionante e, principalmente, repleta de boas lições sobre perseverança e fé.

“As escolhas que você fizer agora vão determinar o resto da sua vida.” Página 15

um mais um - jojo moyes

Enfim gente, é muito difícil falar de um livro tão bom quanto esse. Não sou nenhuma crítica literária, mas com essa resenha espero compartilhar essa história deliciosa com o maior número de pessoas. Quando eu leio um livro que gosto muito, minha vontade é de que todos leiam também. Me desculpem se fui muito longa, mas é porque eu gosto de detalhes, e não vou mentir: é muito difícil escolher os trechos a citar aqui. Dá vontade de digitar um capítulo inteiro, de tão lindo que é o livro.

Depois dessa leitura fiquei ainda mais fã de Jojo Moyes e o meu desejo é que ela não pare nunca de criar histórias maravilhosas como Um mais Um.

—-

ME ENCONTRE TAMBÉM AQUI:

Instagram ❤ Facebook ❤ Google + ❤  Pinterest ❤ Skoob ❤ Twitter ❤  YouTube

Um super beijo, fiquem com Deus!

29
jun

RESENHA: A GAROTA QUE VOCÊ DEIXOU PARA TRÁS – JOJO MOYES

Categorias: Livros

A garota que você deixou para trás é mais um romance escrito por Jojo Moyes, e esse fato foi a única motivação para eu lê-lo antes mesmo de saber do que se tratava. O livro todo gira em torno de um quadro pintado por Édouard Lefèvre. Na tela, ele retratou a esposa, Sophie Lefèvre, em sua melhor forma.

Sinopse: Obrigada a cozinhar para os soldados alemães que ocupam St Pérone, na França, Sophie Lefèvre mantém exposto no restaurante da família o quadro pintado por seu marido, o artista Édouard Lefèvre. O comandante responsável pela ocupação da cidade fica completamente envolvido pela imagem de Sophie na tela, e parece também se sentir atraído por ela. Quando chega a notícia de que Édouard foi enviado para um campo de prisioneiros, Sophie propõe uma troca arriscada na tentativa de garantir a liberdade de seu grande amor.

Quase cem anos depois, o retrato de Sophie tem agora lugar de destaque no quarto de Liv Halston, uma jovem viúva que mora numa casa com paredes de vidro. Presente de David, seu falecido marido, o quadro A garota que você deixou para trás tornou-se símbolo de todas as boas lembranças de seu breve casamento. Quando Liv decide sair do luto e volta a se abrir para a vida, os herdeiros de Édouard Lefèvre aparecem para reivindicar a posse da obra, alegando que o quadro fora roubado pelos alemães.

Uma trama tecida com habilidade. A garota que você deixou para trás alterna momentos tristes e alegres, sem descuidar dos meandros das grandes histórias de amor e da delicadeza dos finais felizes.

a garota que você deixou para trás - jojo moyes

A primeira parte do livro, narrada por Sophie, é datada de 1916 e mostra a rotina em St Péronne, depois da I Guerra Mundial. Sophie mora com os irmãos e os sobrinhos no que restou do Le Coq Rouge, um antigo hotel da família. Seu marido e cunhado foram levados para enfrentar os alemães, deixando Sophie e a irmã responsáveis por garantir a sobrevivência das crianças da casa.  Longe deles, as duas tentam vencer a fome, o medo, a miséria, a opressão e todas as outras dificuldades causadas pela guerra. Apesar de tudo, Sophie mantém viva a esperança de um dia reencontrar Édouard e tudo voltar a ser como antes, alegre, como no quadro que ele fez em sua homenagem quando se casaram.

“Quando você voltar, Édouard, juro que serei de novo a garota que você pintou.”  Página 17

A situação da família parece ficar ainda mais complicada quando o Kommandant alemão escolhe como o ponto de alimentação dos militares o hotel Le Coq Rouge. A princípio, Sophie tenta resistir, pois sabe que será alvo de desconfiança dos outros moradores da cidade, mas como se trata de uma ordem, ela e a irmã passam a cozinhar diariamente para eles. Com o tempo, a família de Sophie passa a se alimentar melhor, e ela começa uma suposta amizade com o Kommandant. Ele parece gostar de sua companhia e, principalmente, da Garota que você deixou para trás. Percebendo isso, e arriscando sua vida e a reputação de sua família, Sophie propõe ao Kommandant uma troca que poderá trazer de volta seu tão amado marido.

a garota que você deixou para trás - jojo moyes

O tempo passa e uma terceira pessoa nos apresenta Liv Halston. O ano é 2006 e o cenário é Londres. Endividada e morando sozinha numa moderna casa com paredes de vidros, Liv ainda não sabe como seguir em frente após a morte de seu marido David. Ela reencontra Mo, uma amiga da faculdade e a leva para morar em sua casa. Logo após, conhece de uma forma bem inusitada o belo Paul, e aos poucos começa a se envolver com ele. Quando aparentemente tudo parece está indo bem, Paul reconhece A garota que você deixou para trás na parede da casa de vidro. Ele trabalha recuperando obras de arte perdidas e esse quadro é a obra que seu atual cliente está procurando. Como esse quadro foi um presente de David, Liv não aceita a ideia de ter que se desfazer dele e enfrenta tudo para preservar a principal lembrança que tem do marido. Ela decide disputar essa briga no tribunal e é nesse momento em que os enigmas por trás da garota vão sendo desvendados.

“Sabe de uma coisa? Acho que isso não tem nada a ver com o quadro. Acho que tem a ver com a sua incapacidade de seguir em frente. Abrir mão do quadro significa deixar David no passado. E você não consegue fazer isso. Página 274

As duas protagonistas são encantadoras! Sophie nos chama mais atenção logo de início, por sua força e principalmente pela esperança em reencontrar o marido, mesmo quando tudo parece perdido. Os relatos sobre o horror da guerra também dão o tom emocionante a essa primeira parte. Demorei mais a me simpatizar com Liv, mas com o desenrolar da trama, descobri o quão forte ela era. Lutar contra tudo e contra todos para defender a imagem que ela tinha daquele quadro realmente a fez uma personagem muito forte. É admirável como ela tenta preservar a reputação de Sophie, mesmo sabendo tão pouco sobre ela. O livro apresenta outros personagens, todos eles muito importantes na trama. Gostei em especial da Mo, que é super divertida e do Paul, que mesmo depois de colocar Liv numa situação complicada, é impossível não torcer para que eles se acertem.

Concluindo, o livro é mesmo muito bom e merece entrar na sua lista de leitura! Indico a todos, principalmente a quem gosta da temática de guerra e de histórias que intercalam presente e passado.

livros jojo moyes

Sobre a autora, a conheci em Como eu era antes de você, que sem dúvida foi uma das melhores leituras da minha vida! Amei tanto que fui em busca de outros livros dela e hoje já tenho pelo menos mais dois na espera (prometo falar deles aqui em breve). 😉

Um super beijo e até a próxima!

ONDE COMPRAR:

Compare o preço no Buscapé

ME ENCONTRE TAMBÉM AQUI:

Instagram ❤ Facebook ❤ Google + ❤  Pinterest ❤ Skoob ❤ Twitter ❤  YouTube

Páginas«1 ...202122232425262728... 28»

Helen Dutra - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2018