13
ago

Resenha | Serafina e a Capa Preta – Robert Beatty

Categorias: Livros

Fazia um bom tempo que não lia nada infantil, não para mim, pelo menos, já que volta e meia estou lendo para minha sobrinha. E preciso dizer que fiquei muito feliz com minha escolha para voltar a ler tais livros! Quer saber mais sobre Serafina e a Capa Preta? É só continuar lendo esse post. 😉

—-

Título: Serafina e a Capa Preta / Autor (a): Robert Beatty/ Editora: Valentina

Páginas: 240 / Skoob: Adicione / Minha avaliação: ★★★★★

Sinopse: Serafina nunca teve motivos para desobedecer ao seu pai e se aventurar além da Mansão Biltmore. Há espaço de sobra para ser explorado naquela casa imensa, embora ela precise tomar cuidado para jamais ser vista. Nenhum dos ricaços lá de cima sabe da existência de Serafina; ela e o pai, o responsável pela manutenção das máquinas, moram secretamente no porão desde que a garota se entende por gente. Mas quando as crianças da propriedade começam a desaparecer, somente Serafina sabe quem é o culpado: um homem aterrorizante, vestido com uma capa preta, que espreita pelos corredores de Biltmore à noite. Após ela própria ter conseguido – depois de uma incrível disputa de habilidades – escapar do vilão, Serafina arriscará tudo ao unir forças com Braeden Vanderbilt, o jovem sobrinho dos donos de Biltmore. Braeden e Serafina deverão descobrir a verdadeira identidade do Homem da Capa Preta antes que todas as crianças… A busca de Serafina a levará ao interior da mesma floresta que tanto aprendeu a temer. Lá, descobrirá um esquecido legado de magia, que tem relação com a sua própria origem. Para salvar as crianças, Serafina deverá procurar as respostas que solucionarão o quebra-cabeça do seu passado.

 

Nós somos apresentados à Serafina, uma garota de 12 anos e que é, com muito orgulho, a COR da mansão Baltimore (COR é Caçadora Oficial de Ratos). Ela mora, desde que se lembra, no porão da mansão, junto com seu pai, que trabalha na manutenção da propriedade. Como ela não pode deixar que as outras pessoas que moram, visitam ou trabalham na mansão saibam que ela e o pai vivem no porão, Serafina acaba tendo que trocar o dia pela noite, já que nesse momento as pessoas ou já voltaram para suas casas ou estão dormindo.

A escuridão e o silêncio noturno são suas melhores companhias e é com elas que Serafina consegue desenvolver suas capacidades. Nunca se aventurou além dos limites da floresta que, para ela, é um limite intransponível, por ordem de seu pai, pois na floresta pode se esconder todo tipo de coisa que poderia causar mal à Serafina. Também apesar de ver as pessoas, não tem contato com elas, até que tudo muda…

Numa de suas andanças noturnas se depara com algo nunca antes visto; um ser maligno, portando uma capa preta ataca uma menina que estava hospedada na mansão e que a assusta terrivelmente, afinal, ela conhece aqueles corredores como ninguém e não sabe bem o que fazer em seguida.

No dia seguinte tudo se revela real quando as pessoas na mansão, em especial o casal Vanderbilt, os donos da mansão, que preocupados, mobilizam todos para tentar encontrar a menina de vestido amarelo que desapareceu…

Serafina conta para seu pai o que ela presenciou, mas ele não acredita e ela chega a solução de que somente ela poderá ajudar a encontrar as crianças que noite após noite estão desaparecendo.

Ela acompanha, nas sombras, os acontecimentos na casa e crê que qualquer um pode ser o homem da capa preta. Durante uma de suas espiadelas, se encontra com o jovem Braedan, o sobrinho órfão dos Vanderbilt, e que se mostra como a pessoa que poderá ajudá-la na aventura.

Apesar de ser o enredo principal, o homem da capa preta não é a única história que se desenvolve nesse livro. Em paralelo ocorrem novas descobertas e verdades são reveladas. Ficamos sabendo por que seu pai a quer longe da floresta, quem realmente ela é e porque é diferente das outras pessoas. Uma garotinha linda, especial, corajosa, única!

O livro tem um ritmo maravilhoso, em terceira pessoa e com capítulos pequenos. Mescla de forma genial amizade, momentos de angústia, questionamentos sobre quem somos no mundo, e sobre o bem e o mal…

Serafina e a Capa Preta, apesar de ser o primeiro de uma série, encerra a história começada nele, então creio que cada um terá sua própria história na mansão Biltmore.

O que mais falar? Somente que a história é linda, a narrativa é simples, mas profunda e ainda estou encantada por ele! Que venham os próximos!

Até mais, pessoal!

Helen Dutra - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2018