13
jan

Resenha | Prometida – Carina Rissi

Categorias: Livros

É com muita alegria e empolgação que eu inicio mais uma resenha de um dos livros da Carina Rissi, essa autora super querida AND talentosa, que provou mais uma vez o quanto sabe criar mocinhos irresistíveis e romances que te prendem desde o primeiro capítulo. Minha dica de hoje é o livro Prometida – Uma longa jornada para casa, o 4° volume da série Perdida, publicado pela Editora Verus.

Título: Prometida / Série: Perdida / Autor (a): Carina Rissi / Editora: Verus / Páginas: 476

 Skoob: Adicione / Compre: Buscapé / Minha avaliação: ★★★★★

Sinopse: Elisa Clarke anda um pouco entediada. Seus dias parecem iguais e os bailes há muito deixaram de trazer algum prazer a ela. Não que seja uma surpresa, pois sempre que ela está presente os eventos se tornam um desastre! E é injusto, já que ela foi uma boa moça a vida toda. Nascida em uma das famílias mais influentes, a jovem aprendeu desde pequena a respeitar as normas sociais e se manter longe de escândalos. Na única vez em que ignorou uma dessas regras acabou noiva. E foi apenas um beijo, ora bolas! Um beijo com o qual Elisa fantasiou desde que conheceu e se apaixonou irrevogavelmente pelo belo e gentil jovem médico e que, como acontece nos contos de fadas, mudou sua vida para sempre. Mas não da maneira que ela esperava. Como consequência, agora está prometida a alguém que a despreza tanto que preferiu viver em outro continente. Tudo o que ela deseja é que as coisas permaneçam assim. Mas Elisa não sabe que seu noivo está a caminho do Brasil, e ela terá de enfrentar o homem cujo coração um dia se viu forçada a partir. Destinados a ficar juntos, mas separados por seus corações, eles se envolverão em uma sinuosa dança marcada por segredos, mágoas do passado, intrigas e uma arrebatadora paixão que colocará em perigo não apenas seus sentimentos, mas a vida de ambos.

Em Prometida, conhecemos a história de Lucas e Elisa. Se você ainda não leu nenhum livro da série, eu te aconselho a fazer a leitura dos livros na ordem certa, pra entender tudo direitinho e não pegar nenhum spoiler. Mesmo assim, eu tentarei não revelar nada aqui que possa estragar a sua experiência de leitura.

Digamos que no livro anterior, Destinado, Elisa parte o coração de Lucas. A irmã de Ian estava apaixonada pelo médico e ele parecida corresponder aos seus sentimentos. Porém, após o pedido de casamento, que acontece depois de uma situação embaraçosa, Elisa acidentalmente vai parar no século 21. Quando retorna ao século 19, a nossa mocinha não pode revelar a Lucas para onde foi, e isso é o bastante para fazer com que ele imagine que ela tenha fugido com outro homem. Mas Elisa prefere que ele acredite que ela o traiu a ter que revelar um segredo de família e isso faz com que o Lucas doce, atencioso e romântico que ela conhecia se torne em um homem amargurado, rancoroso e fechado.

“Como podemos pensar em construir uma vida juntos se você esconde coisas importantes de mim? Se não confia em mim?” Página 157

Apesar de toda essa situação, Lucas decide manter o noivado, mesmo contra a vontade de Elisa. Ele viaja para estudar medicina na Itália e só retorna após 3 longos anos. Lucas está certo de que se casando com Elisa, ele a fará infeliz, e assim ela pagará pela “traição”. Elisa, por sua vez, estaria arruinada se não se cassasse com ele e aceita a situação por zelar pelo bom nome da Família Clark. O que eles menos imaginam é que o sentimento que sentem um pelo outro ainda continua forte e que o casamento só vai fazer com que o amor, o cuidado e a paixão aumentem mais ainda.

—-

“A base de qualquer relacionamento é a confiança. Não se pode amar pela metade, da mesma maneira que não se pode confiar pela metade.” Página 363

Eu estou num estado de felicidade com essa leitura que vocês nem imaginam! Mais uma vez me diverti, sorri e me apaixonei pela escrita cativante da Carina Rissi. Não restam dúvidas de que ela é a criadora de mocinhos mais desejáveis da vida. Não bastava me fazer apaixonar por Max, de Procura-se um marido, por Ian, de Perdida e Encontrada, e por Dante, de No Mundo da Luna. Carina Rissi tinha que criar um médico atencioso, apaixonado, lindo e autor das cartas mais fofas da vida pra fazer meu coração derreter de vez.

Lucas, apesar de estar com o coração despedaçado e de ter magoado muito Elisa, não consegue disfarçar o amor que sente por ela. Elisa, que a princípio parece frágil, ao longo dos capítulos vai provando o quanto é corajosa e leal à família. Ela sacrifica o próprio relacionamento para ver sua família unida e feliz. Isso sem contar que ela está com a língua afiadíssima, haha! Tinha sempre a resposta na ponta da língua nos momentos de briga com o Lucas. E olha que eles passaram boa parte do livro brigando, viu? Os dois são tão cabeça dura que em vez de serem sinceros um com o outro desde o início, escolheram ficar com seus segredos. Mas isso foi bom pra deixar a gente na expectativa e tornar o romance ainda melhor, porque por trás de todo orgulho e segredos, aqueles dois nasceram um para o outro. Isso fica ainda mais claro porque a narrativa é alternada pelo ponto de vista dos dois protagonistas, o que nos proporciona uma visão mais rica da trama. Enquanto Elisa narra em primeira pessoa, os capítulos que mostram a perspectiva de Lucas são contados em terceira pessoa.

“- Pode, por favor, retirar essa carcaça asquerosa do meu quarto?

– O esquilo já foi embora.

– Eu não me referia a ele.” Página 270

Eu também não poderia terminar essa resenha sem dizer o quanto eu fiquei feliz em rever Ian, Sophia e tantos outros personagens carismáticos que acompanhamos desde o primeiro volume da série. Também tivemos a oportunidade de conhecer Samuel, um garotinho que conquistou o coração de todos e já deixou saudades. Mas a boa notícia é que vem aí o 5° livro da série Perdida, dessa vez pra contar a história de Valentina, a melhor amiga de Elisa. Ai meu coração! Já estou aqui na expectativa de que será tão bom quanto os livros anteriores.  —-

— 

“Creio que o amor seja feito disto: liberdade. Todos os dias ter diante de si inúmeras alternativas, mas acabar fazendo sempre a mesma escolha. E eu o escolhia. Escolhi no passado, escolhia agora e escolheria no futuro.” Página 405

 

E por último, me deixem ostentar meu momento tiete de Carina Rissi. A autora esteve lançando o livro aqui em Fortaleza e eu não poderia perder a oportunidade de vê-la pessoalmente. Ela é maravilhosa! Super simpática, atenciosa e um amor de pessoa. Amei conhecê-la!

lancamento-prometida-carina-rissi-em-fortaleza

E por hoje é só. Espero que tenham gostado da dica. Eu recomendo Carina Rissi de olhos fechados. Ler seus livros é ter a certeza de um romance lindo, personagens cativantes e, claro, boas gargalhadas!

ME ENCONTRE TAMBÉM AQUI:

Instagram ❤ Facebook ❤ Google + ❤  Pinterest ❤ Skoob ❤ Twitter ❤  YouTube

Beijos e até a próxima!

11
mar

Resenha | O Duque e Eu – Julia Quinn

Categorias: Livros

Desde de que vi a Paola, do Livros & Fuxicos, dizendo que a série Os Bridgertons é muito boa, fiquei super interessada em ler. A curiosidade só aumentou a medida em que outras pessoas também falavam muito bem tanto da autora, quanto dos livros. Então não me restou escolhas; na primeira oportunidade que tive comprei O Duque e Eu, que é o primeiro volume desta saga de romances de época.

Livro o Duque e Eu - Julia Quinn (1)

Título: O Duque e Eu / Série: Os Brigertons / Autor (a): Julia Quinn / Editora: Arqueiro / Páginas: 288

Minha avaliação: ★★★★★

Sinopse: Simon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas. Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um plano infalível. É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de seu melhor amigo. Apesar de espirituosa e dona de uma personalidade marcante, todos os homens que se interessam por ela são velhos demais, pouco inteligentes ou destituídos de qualquer tipo de charme. E os que têm potencial para ser bons maridos só a veem como uma boa amiga. A ideia de Simon é fingir que a corteja. Dessa forma, de uma tacada só, ele conseguirá afastar as jovens obcecadas por um marido e atrairá vários pretendentes para Daphne. Afinal, se um duque está interessado nela, a jovem deve ter mais atrativos do que aparenta. Mas, à medida que a farsa dos dois se desenrola, o sorriso malicioso e os olhos cheios de desejo de Simon tornam cada vez mais difícil para Daphne lembrar que tudo não passa de fingimento. Agora ela precisa fazer o impossível para não se apaixonar por esse conquistador inveterado que tem aversão a tudo o que ela mais quer na vida.

Livro o Duque e Eu - Julia Quinn (3)

A série Os Bridgertons é composta por oito livros e cada um deles trata de um filho da família Bridgerton. A mãe, Violet Ledger, conforme o nascimento de cada filho, os nomeou por ordem alfabética, de forma que o resultado foi esse: Anthony, Benedict, Colin, DaphneEloise, Francesca, Gregory e Hyacinth.

Nesse primeiro livro, a autora disponibilizou a árvore genealógica da família Bridgerton, assim podemos entender melhor a ordem da série:

arvore-genealogica-da-familia-bridgerton

Logo no início de O Duque e Eu somos apresentados à Simon Basset. Seu pai era um duque cujo maior desejo era de que o filho desse continuidade ao ducado. Mas Simon teve problemas com a fala durante a infância (era gago) e por conta disso, foi rejeitado pelo pai. Ele passou a ser criado por uma ama e, com muito esforço, conseguiu controlar sua gagueira e se tornou um menino inteligente e determinado. Mais tarde, esse menino deu lugar a um homem bonito, obstinado e com um coração cheio de ódio pelo pai. Seu objetivo era justamente ser o oposto do que o pai queria. Portanto, mesmo após a morte de seu genitor, Simon prometeu a si mesmo que nunca se casaria.

Em seguida, passamos a conhecer Daphne, sua mãe e seus sete irmãos. A cidade é Londres, o ano 1813 e a família pertence a alta sociedade. Ela é a quarta filha de Violet, a mais velha entre as mulheres e sonha em se casar por amor e construir uma família tão numerosa quanto a sua. Daphne está há dois anos debutando. Isso significa que ela frequenta os bailes pomposos da sociedade londrina, acompanhada de seus irmãos mais velhos e de sua mãe, em busca de um bom cônjuge. Contudo, ela ainda não encontrou alguém que realmente mexesse com o seu coração. A maioria dos pretendentes são homens mais velhos e os que poderiam dar certo apenas a vêem como amiga.

Até que em um desses bailes ela conhece Simon, um dos melhores amigos de seu irmão Antony e que acaba de voltar à Londres após uma longa viagem pelo mundo. Bonito e rico, ele logo passa a ser um dos principais alvos das mães desesperadas por casar suas filhas. Mas, lembram que ele não quer se casar? Então ele propõe um acordo que poderá beneficiar a ambos: Simon fingirá que corteja Dafhne e com isso fugirá das mães casamenteiras, enquanto Dafhne despertará a atenção de mais pretendentes. O plano tem tudo para dar certo, desde de que Simon mantenha as mãos longe de Dafhne (o que é um desafio, visto que ele sente um desejo enorme por ela) e Dafhne não se apaixone pelo duque de olhos azuis.

” Que diabo você pensa que está fazendo? – sibilou ela.

– Protegendo minha irmã!

– Do duque? Ele não pode ser tão perverso assim. Na verdade, ele me lembra você.

Anthony soltou um gemido. – Então ela realmente precisa da minha proteção. “

Além disso, Julia Quinn ainda nos presenteou com uma personagem misteriosa, a Lady Whistledown, escritora de um jornal de fofocas que toda a alta sociedade londrina lê, mas desconhece sua verdadeira identidade. Os relatos desta senhora são pontos bem divertidos da trama, uma espécie de “Gossip Girl de época”. Devo mencionar também que os momentos em que os irmãos Bridergtons estão juntos me arrancaram várias gargalhadas, o que me leva a crer que os demais livros dessa série são tão bons quanto o primeiro.

Livro o Duque e Eu - Julia Quinn (2)

O livro é narrado em terceira pessoa e apesar da história se passar em 1813, não há muitas palavras de difícil compreensão. Pelo contrário, a leitura flui de forma muito rápida. O fato de o narrador ser onisciente contribui muito para que o leitor conheça o íntimo dos personagens, suas emoções e pensamentos. Vale lembrar que O Duque e Eu, como boa parte dos romances de época, contém cenas picantes, portanto não indico para todas as idades.

Mas de um modo geral, eu gostei demais do enredo, dos personagens e da escrita apaixonante de Julia Quinn. Não costumo ler muitos livros desse gênero, mas essa série me conquistou desde o início e eu não vejo a hora de conhecer melhor os demais irmãos Bridgertons.

 

 

ONDE COMPRAR:

AmericanasAmazonCulturaSaraivaSubmarino

Páginas12

Helen Dutra - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2017